Como (não) exercer a “cheferança”

LIDERANÇA

Você já ouviu falar no termo “cheferança”? Provavelmente não, pois foi criado por mim, mas na prática você já deve ter visto e muitas vezes. Este termo é muito utilizado pelas pessoas que acham que estão exercendo liderança em suas empresas, porém estão sendo chefes. A cheferança pode acontecer em diversas situações, abaixo seguem algumas razões bem claras:

  1. Promoção de cargos. Alguém trabalhou por muito ou algum tempo em um setor da empresa e em certo cargo, de repente um dia este alguém é chamado para assumir uma função de gerência e é promovido.
  2. Empresa como herança. É muito comum pessoas começarem suas vidas no mundo dos negócios como empresários recebendo suas empresas de seus pais como herança.
  3. Chega de ser empregado. Uma das grandes ambições do ser humano é ser dono do próprio negócio e muitos largam seus empregos para ingressar na carreira empresarial.
  4. Fui demitido, e agora?Algumas pessoas saem do mercado de trabalho como funcionários e decidem abrir suas próprias empresas e passam a ser donos do próprio nariz.

O que a cheferança tem a ver com as situações acima? Tudo! Em todas elas as pessoas passam a lidar com seus subordinados de uma maneira agressiva e muitas vezes denominam esta tal maneira de liderança, porém ledo engano. É muito comum pessoas vestirem a carapuça de chefes ditadores querendo ditar ordens e perdendo pessoas de talento por não cuidar das mesmas.

    Liderança plena não usa força, usa jeito e tratar as pessoas com jeito é uma arte. Na verdade ser chefe é muito fácil, pois só precisa mostrar quem manda na empresa e pronto, porém qual o mérito em exercer a força sobre as outras pessoas? A pessoa que exerce a cheferança acredita que o ditado destruidor e paradigmático “manda quem pode e obedece quem tem juízo” é pleno e precisa ser levado à risca.

Então, como exercer a liderança de maneira eficaz? Antes de qualquer coisa entenda que ser líder não é algo nato e sim uma habilidade. Ninguém nasce líder, liderança é uma habilidade e como toda precisa ser lapidada e aperfeiçoada. Abaixo seguem algumas dicas importantes para ser líder pleno:

a) O líder não empurra a responsabilidade para outras pessoas, ele assume cada passo que dá dentro da empresa;

b) As metas da empresa são feitas em conjunto com a equipe e não somente pelo gestor, pois ele entende que em conjunto a empresa caminha melhor e mais rapidamente;

c) O líder não só prega os valores da empresa como os pratica também, sendo o precursor dos mesmos;

d) O líder tem planejamento diário e não fica apagando incêndio;

banner-do-site amandio junior ebook construindo resultados

e) O líder dá feedback e tem o coração e a mente abertos para receber também, pois ele entende que o diálogo é fundamental em um relação com o outro;

f) O líder confia em sua equipe, fator fundamental para exercer a liderança;

g) Ele não centraliza, pelo contrário, delega e monitora estendendo a mão para quem precisa;

h) O líder de verdade cuida das pessoas, pois ele sabe que sem pessoas cuidadas nenhum processo roda na empresa de maneira eficaz.

      Infelizmente a “cheferança”, que é o chefe que acredita estar exercendo liderança na empresa, impera nas empresas brasileiras e não tem data nem hora para acabar. Pessoas mal preparadas para serem líderes e consequentemente fazerem a diferença no mercado, pois os processos de uma empresa têm pessoas e pessoas são os principais responsáveis no sucesso ou no fracasso da mesma. Pense nisso!

Sucesso a todos!
Deixe seu comentário, dessa forma posso tirar suas duvidas e saber sua opinião.

Os efeitos destruidores dos paradigmas nas empresas

Os efeitos destruidores dos paradigmas nas empresas

   Paradigmas são padrões que pessoas, sociedades e culturas tomam como verdade absoluta para levar a vida. Estas verdades estão pautadas em crenças e valores que foram construídas com o tempo vindo muitas vezes de outras gerações. Quando eu era criança havia um paradigma de que açaí fazia mal com a maioria das comidas e bebidas. Os mais velhos costumavam dizer que misturar açaí com leite, por exemplo, era veneno e consequentemente, morte certa.

   No mundo dos negócios os paradigmas existem principalmente vindos dos donos das empresas que estabelecem como total verdade o que acreditam. São hábitos muitas vezes antiquados que se estabelecem e que muitas vezes nem eles mesmos sabem de onde vêm, porém só sabem de algo: Se existem é porque fazem sentido e se fazem sentido porque mudá-los? Talvez até tenham dado certo um dia, o problema é que o mundo evolui todos os dias e as mudanças estão aí para serem encaradas e adaptadas.

Quebrar paradigmas dentro das empresas é uma tarefa difícil, principalmente se forem trazidos da administração das mesmas. As pessoas para quebrá-los precisam se despir de muito “pudor” comportamental a ponto de estarem dispostos a vestir uma roupa nova que irá levá-los em direção às mudanças. Então como essas quebras podem acontecer de maneira eficaz? O que é preciso fazer para derrubar muralhas que muitas vezes impedem as empresas de crescerem? Se você exerce cargo de liderança dentro da sua empresa aproveite estas dicas preciosas que vou lhe dar abaixo:

1. Seja o exemplo de seus liderados, dê sugestões, esteja antenado com o mundo. Os desafios existem para serem encarados, portanto mostre para sua equipe que você tem capacidade de levá-los a alcançar patamares mais altos;

2. Se houver algum processo de mudança dentro da empresa, seja o primeiro a levar a novidade aos seus liderados. Esteja muito bem preparado para facilitar o máximo que puder a sua equipe, isto criará uma base de segurança muito grande entre eles e você;

3. Lembre-se que não há processo de mudança nas empresas se não houver capacitação. Você como líder precisa estar a frente de todos, entender o que irá acontecer para poder levar seus liderados aos objetivos propostos;

4. Prepare o terreno para que seus liderados entendam as mudanças que acontecerão. É fundamental que haja diálogo constante entre você, líder e sua equipe. Desta maneira você cria uma base sólida e segura para seguir em frente;

5. Tenha mente e ouvidos bem abertos para ouvir o que sua equipe tem a dizer. Muitas vezes as pessoas que trabalham com você têm ideias excelentes, só precisam de uma oportunidade para externá-las;

banner-do-site amandio junior ebook construindo resultados

6. Quando os processos de mudança estiverem ocorrendo monitore cada um da sua equipe para saber se está tudo correndo bem, lembre-se que algumas pessoas precisarão de um tempo para assimilar as novas tarefas e com isso podem ter dificuldades. O papel do líder é segurar na mão de seus liderados;

7. Esteja aberto para dar e receber feedback. Você não é o detentor da verdade e sua equipe precisa se sentir à vontade para lhe repassar o que está acontecendo com tranquilidade.

Os passos acima são de muita importância, porém tudo inicia dentro de você. Como disse antes, quebrar paradigmas é uma tarefa difícil, você precisa estar muito disposto e aberto para que haja mudanças dentro de você para só então mudar na empresa, porém você só terá a ganhar. Pense nisso!

Sucesso a todos!
Deixe seu comentário, dessa forma posso tirar suas duvidas e saber sua opinião.

A sustentável leveza do valor agregado

A sustentável leveza do valor agregado

Em um mundo em que o nível de informações globalizadas está cada vez mais intenso é muito fácil dispersar e dar vazão ao que não tem importância, ao que não agrega nada significativo, portanto não o levará a lugar algum. Pessoas estão cada vez mais perdidas entre as dezenas e até centenas de afazeres que têm sem saber como sair do labirinto das inutilidades que percorrem suas mentes e corações. O resultado disso é que a vida vai passando com uma velocidade muito intensa e quando menos se percebe parte dela foi jogada fora dando importância a coisas que desagregavam.

O escritor Henry Cloud em seu livro “Coloque um Ponto Final” da editora Lua de Papel faz uma analogia perfeita da nossa vida e o que inutilmente alimentamos e temos dificuldades de jogar fora com um jardineiro cuidando de uma roseira. Segundo Cloud, o jardineiro precisa utilizar o processo da poda para que suas rosas fiquem lindas, então 3 atitudes são tomadas para que seu objetivo final seja alcançado:

1. Brotos ou galhos que não são os melhores. Ao crescer as roseiras criam brotos em demasiado que impedem que a planta cresça de maneira eficaz, a quantidade de brotos torna-se então desnecessária. O jardineiro sabe quais deles precisa cortar e quais darão rosas lindas. Na nossa vida precisamos podar pessoas e atitudes que não nos agregam assim como a quantidade de brotos o não filtro pode nos levar a ter problemas e ficar repetindo as mesmas coisas durante anos e anos e sustentando relacionamentos que não acrescentam nada.

2. Galhos doentes que não vão se desenvolver bem. Durante o crescimento das roseiras alguns galhos precisam ser cortados para o bem das rosas, porém antes do jardineiro fazer isso ele tenta recuperar os mesmos. Passado algum tempo, ao perceber que tais galhos não agregarão nada às roseiras, o jardineiro então os corta e deixa as roseiras mais leves. Algumas vezes insistimos e relacionamentos e atitudes que não irão dar mais frutos bons, só ruins. Ficamos nos autoflagelando na estúpida esperança de que algo irá mudar e que será diferente. Assim como o jardineiro, precisamos nos respeitar mais e dar um fim em relacionamentos e atitudes doentes.

3. Galhos mortos, que ocupam o espaço para que os saudáveis se expandam. Após cortar os brotos e os galhos que não servem mais a tarefa do jardineiro é varrer o que não presta para dar espaço a galhos e brotos novos. Ao cortarmos relacionamentos e atitudes que não agregam mais nada precisamos varrê-los de nossos corações e mentes para dar lugar a novas experiências, porém sempre com o cuidado de, quando necessário, fazer o processo da poda.

banner-do-site amandio junior ebook construindo resultados

Você deve estar se perguntando se realizar tudo isso é tarefa fácil, claro que não é! Cortar inutilidades de nossas vidas requer muita disciplina, quebra de paradigmas e força de vontade. As podas não podem acontecer de uma maneira radical e única. O jardineiro não as faz de uma vez, ele analisa muito bem o que deve ficar e o que deve ir embora. Suas tesouradas são cuidadosas, mas precisas. Assim é como devemos fazer, tirar pessoas e atitudes de nossas vidas requer precisão e cuidado, do contrário podemos nos arrepender no futuro e pode ser tarde demais.

Após extinguir velhos hábitos e pessoas que não agregam nada a sua vida você perceberá que só teve a ganhar, a vida fica mais leve, outros horizontes se abrem e você dará a você mesmo a oportunidade de recomeçar, porém tente de vez em quando lançar mão do processo da poda e você perceberá que o que resta é realmente o que agrega.

Pense nisso!

Sucesso a todos!
Deixe seu comentário, dessa forma posso tirar suas duvidas e saber sua opinião.