Como utilizar o locus de controle corretamente

“Acho que o mundo está contra mim, afinal de contas está dando tudo errado”. Você alguma vez pronunciou ou ouviu alguém pronunciar esta frase? É muito comum quando alguém se sente injustiçado e achando que seu fracasso é originado do universo.

“Eu sou o único responsável pela minha vida”. Você certamente já deve ter dito ou ouvido alguém dizer esta frase também, não é mesmo?

Ambas dizem respeito a um comportamento chamado de locus de controle. Tanto uma quanto a outra tem um responsável a quem você atribui. Seja bem vindo(a) ao mundo do LOCUS DE CONTROLE.

Infelizmente há uma tendência do ser humano utilizar muito mais o lócus de controle externo do que o interno. Mas o que significa cada um deles?

O locus de controle externo é quando você atribui seu fracasso ao mundo: pessoas, ambientes, condições climáticas, etc.

O locus de controle interno é quando você atribui toda a responsabilidade de seus atos (positivos ou não) em si mesmo(a).

Qual dos dois está correto? Vamos parar para analisar?

Você pode estar pensando que nem tudo o que acontece na sua vida é culpa sua, certamente que não, porém a responsabilidade é e sabe qual a razão? Porque é você quem escolhe a maneira de lidar, agir e reagir em cada situação.

Na minha infância um dos maiores medos que eu tinha era de ficar reprovado, pois meus pais eram muito rigorosos, eles costumavam dizer que eu só fazia estudar na vida então não havia razão para tirar notas baixas ou não passar de ano.

Com isso eu instalei uma crença de que eu nunca poderia falhar quando se tratava de testes escolares e aprovações. Esta crença tornou-se altamente limitante, pois eu geralmente fazia provas com muito receio de tirar notas baixas, fracassar e decepcionar meus pais. A minha limitação era de não me achar bom o suficiente.

Certo dia eu descobri uma estratégia que poderia me ajudar, apesar de não ter nunca dado certo.

Quando eu tirava nota baixa eu chegava em casa cabisbaixo, triste, desolado. Ao encontrar com meus pais eu dizia: “Olha só, tirei nota baixa porque o professor não gosta de mim, não ensina direito, a sala é barulhenta, ninguém quer nada e me atrapalham, o calor é intenso e prejudica a concentração”. E assim por diante.

A minha estratégia era de colocar a culpa em tudo e em todos que estavam à minha volta para livrar a minha barra. Eu usava o locus externo.

Por outro lado, quando eu tirava uma nota alta a minha postura ao chegar em casa era diferente, o nariz empinado até o teto e coluna ereta.

Neste momento eu era 100% locus interno porque meu argumento era que apesar de todas as dificuldades o mérito era meu.

Eu quis explanar com este pequeno case de minha vida é que eu não tinha noção de que na alegria e na tristeza a responsabilidade era toda minha independentemente da situação.

Assim é na vida de cada um, problemas e percalços sempre aparecerão na vida, porém a sua responsabilidade é absorver e transformá-los em algo positivo e isso só depende de você.

Entenda que ao estabelecer uma meta e seu planejamento tudo está com você: como, onde, quando, com quem ou quanto você terá que dispor para chegar ao objetivo e nada como estar ciente de sua responsabilidade.

Por esta e outras razões é que o autoconhecimento é tão importante ao se estabelecer uma meta, sem se conhecer você não conseguirá avançar muito em seu objetivo e pode acabar achando que a culpa e a responsabilidade é de tudo e de todos, menos sua.

Você acredita que este artigo lhe ajudou a entender melhor o grau de responsabilidade que você tem sobre seus atos? Se sim, então venha saber mais, Clica neste link aqui http://bit.ly/construirmudança e comece a receber mais informações de como você pode construir resultados maiores e melhores na sua vida.

Sucesso sempre!

Como trocar crenças limitantes por crenças fortalecedoras

No meu último artigo publicado no dia 09 de dezembro de 2017 eu falei de crenças limitantes e como elas podem atrasar sua vida com as barreiras que existem dentro de seu subconsciente. Elas estão enraizadas e dependendo da potência que você dá a elas levará um tempo a mais para que você as elimine.

Todavia, eu gostaria neste artigo te fazer uma proposta: Que tal trocarmos as crenças limitantes por crenças fortalecedoras?

Como mencionado no artigo anterior, crenças limitantes se tornam mais difíceis de serem eliminadas quando damos a elas poder através de nossos pensamentos e o perigo é quando nos tornamos reféns de nossas mentes, pois somos conduzidos a lugares que muitas vezes não queremos, porém acreditamos que são os melhores, tudo por conta das crenças limitantes.

Cultivar pensamentos negativos agrega algo na sua vida? Parece uma pergunta óbvia e até tola, não é mesmo? Mas não é, pois se fosse ninguém as manteria vivas.

Para pensar de maneira positiva faz-se necessário mudar seu mindset (maneira de pensar) através da busca da origem de tal pensamento. Porque você está cultivando este ou aquele pensamento? Como ele começou?

Agora me fala uma coisa, as crenças limitantes que você cultiva são suas ou de seus pais / família? O que você acha de começar a expurgar essas crenças limitantes de dentro de você e substituir por crenças fortalecedoras? Faz sentido para você?

Eu tive um cliente de Coaching que tinha uma grande dificuldade em manter pensamentos positivos, ele até tentava, porém esbarrava nas preocupações e excesso de ansiedade.

Em outras palavras, ele estava cheio de “passado” na mente e este “passado” abarrotado de crenças limitantes. O que acontecia é que as crenças vinham à tona quando ele se projetava para o futuro e era aí que a ansiedade vinha com toda força, pois ele passava a cultivar o sentimento de incapacidade.

Para que seu mindset virasse ele precisou ser direcionado para o que poderia fazer de diferente no presente para que tivesse melhores resultados no futuro. Foi um trabalho árduo, porém muito gratificante. Árduo porque ele precisou lutar muito contra os diversos “monstros” que havia dentro dele e prazeroso por ele mesmo descobrir que ele não era aquela pessoa, aquele não era ele,

Ao final de 10 sessões esta pessoa era completamente diferente, com sonhos e planos que se perpetuam até hoje.

Para mudar seu mindset faz-se necessário começar a cultivar crenças fortalecedoras e consequentemente pensamentos positivos. E como fazer isso? Abaixo seguem algumas dicas que podem te ajudar a mudar seu modo de pensar:

  • Cultive seu foco no melhor da vida, pois você sempre haverá uma lição a tirar;
  • Ame-se primeiramente, só assim você poderá cuidar do outro;
  • Mantenha a autoconfiança, você é capaz de realizar o que deseja;
  • Potencialize seus pontos fortes e trabalhe seus pontos a melhorar;
  • Doe primeiro e receba depois, esta é a ordem do universo;
  • Pratique a resiliência, você tem todas as condições para dar a volta por cima;
  • Cuide de sua inteligência emocional sem parar, você só terá a ganhar;
  • Ressignifique sua vida e crie uma nova história da sua história;
  • Pratique o autoperdão e o perdão ao outro, afinal de contas não somos perfeitos.

Como você viu substituir as crenças limitantes por fortalecedoras só irão lhe beneficiar, pois elas lhe ajudarão a ampliar seus horizontes e você passará a perceber que realmente a única pessoa responsável pela sua vida é você mesmo(a).

Você acredita que este artigo lhe ajudou a abrir a mudar seu mindset e substituir crenças negativas por positivas? Se sim, então venha saber mais, Clica neste link aqui https://goo.gl/r11Kr4 e comece a receber mais informações de como você pode construir resultados maiores e melhores na sua vida.

Sucesso sempre!

Como nasce uma crença limitante

Segundo o dicionário Aurélio, a palavra crença significa fé religiosa, confiança, opinião. Desde cedo somos levados a acreditar em diversas coisas, algumas que não abalam em nada nosso desenvolvimento emocional e/ou intelectual, outros que marcam (para sempre) nossa história.

Mas em que eu na verdade devo acreditar? No que meus pais me ensinaram ou no que a sociedade diz? E tudo que eu internalizo é realmente verdade? Como eu faço meus filtros? As coisas que eu acredito agregam algo na minha vida?

Você pode perceber que há inúmeros questionamentos a serem feitos e ler este artigo até o final pode lhe ajudar a desvendar muitos mistérios entranhados em seu coração e mente. Fica comigo!

Calma! Eu irei te ajudar, afinal de contas foi por isso que escrevi este artigo e você o está lendo. Sabe, muitas vezes nem tudo o que nos é apresentado é verdade ou nos serve e o cuidado que temos que ter é que aquilo que não nos serve precisa ser descartado, pois pode apresentar algo que nos impeça de caminhar.

Sabe o que eu quero dizer com isso? É que há crenças que podem estar lhe travando de andar para frente e você nem perceba. Tais crenças são denominadas justamente de crenças limitantes.

Toda crença nasce a partir de um paradigma, você sabe qual é a diferença entre um e outro? Paradigmas são ideias e conceitos que são colocados em sua mente e muitos deles passam a ser encarados por você como verdadeiros e a partir dai o paradigma passa a ser uma crença.

Depois de serem transformados em crenças, a sua maturidade e sua experiência vão ciando filtros e então as separam em crenças conscientes e inconscientes.

As crenças conscientes são as que você tem a plena certeza do porquê acreditar. Exemplos: em Deus, nas consequências do uso de drogas, etc.

Todavia, há crenças que você não sabe por qual motivo você a segue, não é mesmo? Desde criança eu ouvia dos meus pais e da comunidade onde vivia que açaí fazia mal mistura a tudo ou quase tudo (eu sou de Belém do Pará e aqui a cultura do açaí é muito forte). Eu cresci ouvindo que açaí era prejudicial se fosse misturado com leite, outra fruta, se tomado à noite ou até mesmo se sobrasse um pouco do dia anterior tinha que ser jogado fora, pois não prestava mais. Estes são apenas alguns exemplos no meio de tantos outros.

O que aconteceu comigo então? Eu era totalmente avesso ao pobre do açaí, não tomava de jeito nenhum com medo até de morrer, que absurdo!

Certo dia eu me perguntei se tal crença fazia sentido e comecei a perceber que açaí não fazia mal com nada. Hoje eu o tomo sem medo algum.

As piores crenças são as limitantes, tudo porque elas podem lhe paralisar a ponto de você perder oportunidades incríveis, tanto no âmbito pessoal como no profissional, de crescer e obter resultados mais satisfatórios. Alguns exemplos são: pessoas ricas são desonestas, eu não nasci para fazer tal coisa, algumas pessoas têm mais sorte do que outras, etc.

Muito bem, você deve estar pensando que há centenas de crenças limitantes dentro de você que estão lhe impedindo de ter uma vida mais promissora, não é mesmo? E como quebrá-las? Siga este passo a passo que irei lhe dar agora:

  1. Pense em algo que você acredita muito;
  2. Reflita sobre a origem desta crença, como ela começou para você?
  3. Agora pense assim: Porque eu acredito nela?
  4. Tal crença lhe limita de avançar em algum aspecto da sua vida? Se não, será mais fácil de eliminá-la, se sim ela lhe dará mais trabalho.
  5. Se for uma crença limitante, pare para pensar como seria se você não a tivesse? Por exemplo, você acredita que não nasceu para ser rico. Se você não pensasse assim, como seria então? Quais atitudes e ações você tomaria para começar a ganhar dinheiro?
  6. Perceba como se sente e aja para poder eliminar esta crença que o/a limita.

Portanto, meu amigo(a), as crenças não nasceram com você, você as deixou entrar e as alimentou, talvez as alimente até hoje.

Tenha muito cuidado como você as trata, elas serão insignificantes se não lhe fizerem mal, porém altamente prejudiciais se você não as eliminar.

Você acredita que este artigo lhe ajudou a abrir a mente e perceber o que pode estar travando sua vida? Se sim, você gostaria de saber mais? Então clica neste link aqui https://goo.gl/r11Kr4 e se inscreve para receber mais informações de como você pode construir resultados maiores e melhores na sua vida.

Sucesso sempre!

Está na hora de definir seu propósito?!

Você gostaria de poder estabelecer suas metas sabendo exatamente o que lhe deixa feliz, brilha seus olhos e sabendo também que você poderá ajudar muitas pessoas através de um propósito definido?

Eu tenho certeza que sim…

Há grandes chances de você estar cometendo erros no momento de definir seu propósito, portanto é muito importante que você fique bem atento para o que vai ler a partir de agora, caso queira saber como definir seu propósito de fato.

Fica tranquilo (a), neste artigo você irá aprender de uma maneira simples e didática algumas dicas importantes para que você possa definir seu propósito com o intuito de estabelecer melhor suas metas.

Na verdade, você pode até seguir exatamente o caminho que eu costumo ensinar para você definir seu propósito, afina de contas foi através dele que eu defini o meu.

Continue lendo este artigo para saber sobre:

  • A importância de se definir um propósito;
  • Ganhos e perdas ao definir seu propósito;
  • Os cuidados a serem tomados na definição de propósito;
  • Como saber se o que eu defini é realmente o que eu quero pra mim.

A importância de se definir um propósito

Esta é uma pergunta que muitas pessoas me fazem quando questiono em meus treinamentos e palestras se elas têm propósito ou missão definida. Será que é realmente tão importante saber o porquê de se ter uma razão para tocar a vida? Não seria melhor deixar a vida lhe levar do jeito que ela quisesse?

É muito perigoso deixar sua vida ser levada como um barco à deriva, sem comando algum. Eu senti isso na pele em um determinado momento de minha vida profissional, entrei em uma zona de conforto achando que não tinha condições de mudar o rumo de minha vida justamente por não ter definido meu propósito.

Mas o que eu ganho e perco definindo meu propósito?

Na vida você sempre terá dois lados, o dos ganhos e o das perdas. Se olharmos de maneira pragmática posso lhe dizer que optando em definir seu propósito você irá ganhar:

– Maior e Melhor direcionamento na vida;

– Otimização do seu tempo e energia com o que realmente lhe agrega;

– Desenvolver coisas que realmente fazem sentido pra você;

– E muito mais!

Por outro lado, o que você perde? Sua auto responsabilidade aumentará consideravelmente, pois a partir da definição de seu propósito você não poderá fugir de você mesmo.

Todavia, você precisa ter alguns cuidados quando estiver refletindo sobre seu propósito para que não caia em algumas armadilhas. Abaixo seguem alguns:

– Não caia na bobagem de ligar seu propósito à renda financeira. Dinheiro é consequência de algo feito com amor e dedicação;

– Procure não pedir opinião para o primeiro que aparecer à sua frente. Lembre-se que durante este processo você estará cheio de dúvidas e será facilmente influenciado por opiniões diversas;

– Ouça mais sua voz interior. A autorreflexão é muito importante neste processo, você é a pessoa mais indicada para descobrir aonde quer chegar;

– Procure ajuda de forças divinas para lhe auxiliar: Deus e Cristo.

Vou lhe dizer agora 4 dicas super importantes para lhe ajudar a definir seu propósito.

Dica nº 1: Pense em coisas que lhe deixam feliz quando você está realizando.

Por exemplo, cozinhar. Ao cozinhar você se sente feliz? É algo que lhe dá prazer? Os seus olhos brilham quando vai preparar algo para amigos ou familiares? (pense em quantas coisas quiser, não há pressa);

Dica nº 2: Das coisas que você pensou coloque em um ranking de preferência.

Mesmo listando várias coisas provavelmente há algo que você prefere em relação às outras. Escolha sua tarefa favorita.

Dica nº 3: Você acredita que este algo que você escolheu pode ajudar o planeta e as pessoas de alguma maneira?

Dica nº 4: Este seu suposto propósito poderia ser algo que lhe gerasse receita?

Ao descobrir o que lhe dá prazer perceba se há a soma destes 3 fatores: talento + paixão + remuneração. Se houver, seu propósito pode, além de prazer, lhe proporcionar renda. Contudo, se você chegar à conclusão de que há talento + paixão, porém você não pensa em remuneração, então será apenas um hobby.

Entenda que neste momento não há certo ou errado e sim o que lhe deixa mais confortável.

Portanto, para definir seu propósito siga os seguintes passos:

– É importante que eu defina meu propósito?

– O que eu ganho e perco definindo meu propósito?

– Eu preciso refletir sobre os cuidados que preciso ter durante o processo;

– O que eu faço que realmente me deixa feliz?

– Eu quero realizar este propósito puramente por prazer ou pretendo ganhar dinheiro com ele?

Agora que você já sabe como definir seu propósito eu vou lhe ensinar como estabelecer metas para que você alcance resultados incríveis na sua vida pessoal e profissional. Acesse https://goo.gl/wtTVjW e obtenha mais informações de como poderá conectar-se ao seu propósito de vida em busca de seu estabelecimento de metas.

Sucesso sempre!