Para evoluir, mudanças são necessárias!

Uma das frases mais bem construídas que já ouvi e li na minha vida foi dita por Albert Einstein: “Insanidade é querer resultados diferentes fazendo as mesmas coisas”, ela é simplesmente fantástica e totalmente verdadeira em minha opinião.

É muito comum eu me deparar com pessoas repetindo comportamentos que não a levarão a nenhum lugar, porém elas insistem e a sensação que tenho é que há um sentimento de esperança dentro de cada uma delas, esperança de que tais comportamentos resultem em algo a favor delas. Infelizmente não irão acontecer.

“Plante maçãs e você colherá maçãs”, disse outra pessoa em algum lugar no passado. Tanto esta frase como a de Einstein tem o mesmo significado, não haverá resultados diferentes com atitudes e comportamentos iguais.

Quando eu decidi trabalhar com educação empreendedora e comprei meus primeiros 7 livros, todos eles diziam que resultados levavam algum tempo para chegar, porém a potência colocada no objetivo é que iria determinar o período de fato.

Em pouco tempo eu ‘devorei’ os livros e estabeleci uma meta de 5 anos para me lançar ao mercado como consultor e facilitador.

Então, como contestar a frase de Einstein? Você quer resultados diferentes? Então mova-se, saia da zona de conforto e nesta transição mude alguns comportamentos. Aqui estão algumas dicas:

1) Comprometa-se com o seu objetivo – Se o que você deseja realmente é alcançar algo que especial que irá lhe beneficiar de alguma maneira, então esteja 100% comprometido;

2) Evite prometer o que não pode cumprir – Quando você não estiver em condições de fazer algo (principalmente para alguém) não prometa que fará, pois você perderá credibilidade;

3) Mantenha-se focado todo o tempo – De certo que durante sua caminhada rumo ao que deseja haverá contratempos que poderão lhe tirar do foco, neste caso pergunte-se quão importante é alcançar o que quer, se for então mantenha o foco;

4) Busque aprender o máximo – No que deseja alcançar você pretende ser bom ou excelente? Em ambos os casos você precisa se capacitar, entenda que o mundo está cada vez mais rejeitando amadores, portanto que tal elevar seu nível ao profissional?

5) Aproxime-se de pessoas que possam lhe ajudar – Não é pecado nenhum buscar ajuda em alguém que já trilhou ou está trilhando o mesmo caminho que você deseja para que você construa parâmetros sólidos.

Eu acredito que antes de ler este artigo você já sabia que movimentos iguais geram resultados iguais, não é mesmo? Todavia, o meu papel como profissional que leva pessoas a alcançarem picos de resultados positivos é de cutucar no sentido de que você pode (e deve) sempre fazer mais.

Portanto, se você deseja ter resultados expressivos na sua vida, olhe com carinho os pontos que cito acima e faça uma autorreflexão para ficar atento se você já não está cometendo um ou mais deles, e se estiver, o que você pode fazer de diferente para evitá-lo(s).

Se precisa de apoio neste processo, entre em contato comigo que posso lhe ajudar! Mande-me uma mensagem de whatsapp (http://bit.ly/AmandioJunior).

Conte comigo e Sucesso sempre!

Os riscos da falta de padronização nas empresas

Você já deve ter passado pela seguinte situação: Necessitando de um determinado produto (uma roupa, por exemplo) você entra em uma loja e é recebido(a) por um(a) vendedor(a) muito simpático(a) que lhe atende com excelência e eficácia.

Após alguns meses você retorna à mesma loja para comprar outro produto na esperança de encontrar aquela mesma pessoa que lhe atendeu tão bem, porém ela já não trabalha mais lá e no lugar dela está outra que é mal humorada, insegura e totalmente indisposta a lhe atender bem.

Você consegue se identificar neste relato escrito acima? Quem nunca passou por uma situação dessas pelo menos uma vez na vida não é mesmo? Todavia, a pergunta que lhe faço é: Qual a razão de tanta diferença no atendimento em uma mesma empresa?

A resposta é muito simples: falta de padronização dos processos e falta de treinamento. As duas coisas estão diretamente ligadas, sem padronização não há linearidade nos processos e mesmo havendo, sem treinamento para aperfeiçoá-los não adianta de nada.

Contudo, eu acredito que todo empresário tem pelo menos noção de que padronização e treinamento são muito importantes para o bom andamento de suas empresas, então não seria mais sensato colocar estes dois itens em seus planejamentos?

Bem, teoricamente sim, porém o fato é que muitas empresas não possuem nenhum dos três itens aqui citados: planejamento, padronização e treinamento ou se têm não são eficazes, além disso, seus gestores não fazem muita questão em implantá-los.

A padronização de uma empresa passa por 3 ferramentas de gestão organizacional que são: organograma, fluxograma e normas & procedimentos.

Imagina duas pessoas preparando um bolo de chocolate cada uma, utilizando suas experiências e expertises. O sabor é o mesmo, os ingredientes são os mesmos, a estrutura (cozinha, equipamentos, etc.) é a mesma. De certo que o bolo sairá com o mesmo gosto, certo? Não mesmo! Agora cada pessoa terá a oportunidade de fazer outro bolo de chocolate com a mesma receita em mãos. E agora? O bolo sairá parecido ou quem sabe igual? As chances são infinitamente maiores do que o primeiro exemplo, não acha?

A padronização passa por este processo, unificar os procedimentos para que todos caminhem em uma só direção.

Após a elaboração das ferramentas acima citadas (organograma, fluxograma e normas & procedimentos), chega a hora do treinamento e execução para saber se está tudo dentro das conformidades, do contrário, volta-se para a fase da elaboração.

Com exceção do organograma, o fluxograma e normas & procedimentos devem ser feitos com a participação de toda a equipe, cada um em seus setores.

Sem padronização e treinamento cada colaborador irá fazer da sua maneira, conforme sua experiência e a empresa não terá controles eficazes. Além disso, padronizar e treinar têm que ser contínuo acordado no planejamento períodos e datas específicas.

Identificou sua empresa na descrição acima? Entre em contato comigo através do whatsapp (http://bit.ly/AmandioJunior) e deixe eu lhe ajudar a mudar esta realidade.

Sucesso sempre!

E quando eu não conseguir, o que fazer?

Certa vez uma pessoa que exerce um cargo de liderança em uma empresa na minha cidade me relatou o seguinte fato: “A empresa estava passando por um momento financeiro bem difícil, precisávamos capacitar nossos funcionários, porém não havia dinheiro para investir em um profissional. Então, um dos diretores sugeriu que cada líder treinasse sua equipe e foi aí que meus pesadelos começaram”.

A pessoa que me contou esta situação disse que a primeira coisa que passou em sua cabeça foi pedir demissão não pelo treinamento, mas por ter que falar em público apesar de exercer um cargo de liderança.

Como isso é possível? Alguém ser líder e ter medo de falar com seus liderados? Na minha experiência como trainer e consultor deparei com várias pessoas sem as mínimas condições de exercer as funções que lhe foram deliberadas justamente por tremerem na hora de falar em público.

Pessoas que sofrem deste problema não conseguem relaxar porque possuem um nível de ansiedade muito grande a ponto de se arriscarem a adivinhar o que irá acontecer quando estiverem à frente de seus liderados.

Outra coisa que os fazem sofrer é se tiveram algum trauma passado ao falarem em público e não conseguem se desvencilhar do mesmo.

Traumas não são tão simples de serem tratados, porém eu gostaria de lhe dar algumas dicas para mudar o seu mindset em relação a falar em público:

1) Foque no agora, no resultado que você deseja alcançar;

2) Se não for capaz de superar esta situação sozinho(a) busque ajuda de um profissional (psicólogo ou coach por exemplo);

3) Não se menospreze perante sua audiência, eles precisam saber que a sua frente está uma pessoa que fará a diferença na vida deles.

O medo de falar em público atormenta muita gente, porém a solução de seus problemas está nos seus filtros, na maneira como você lida com a situação e o momento. Eu costumo dizer que enfrentar uma plateia é primeiramente enfrentar a si mesmo. Portanto, olhe para seu interior, descubra de onde vem esta barreira e trate de quebrá-la, você só tem a ganhar.

Você gostaria de ter uma mentoria totalmente grátis comigo para melhorar a maneira como você se comunica? Então acessa este link aqui http://bit.ly/desbravandofronteiras e preencha seu formulário. Terei o maior prazer em conversar com você e lhe ajudar.

 

Sucesso sempre!

Como tocar o coração de sua plateia

O que acontece quando você se prepara para realizar uma apresentação e dá no show (ninguém aparece)?

Qual a sensação que bate no seu coração quando a mensagem que você está tentando passar não é alcançada pelas pessoas que estão à sua frente?

O que fazer quando sua plateia não está prestando atenção no que você está tentando transmitir?

Algumas dessas perguntas já foram feitas a pessoas que conversaram comigo a respeito de falar em público. O que elas têm em comum?

A resposta mais direta seria que você não conseguiu tocar o coração delas, nem para comparecer ao seu evento e muito menos para ficarem focados no que você tem para passar como mensagem.

Todavia, o que aconteceu ou acontece para que você não esteja conseguindo tocar o coração das pessoas a ponto delas menosprezarem sua mensagem ou até mesmo gostarem, porém sem continuidade?

Eu coloquei aqui algumas razões para sua reflexão:

1) Estou me comunicando com o público errado;

2) Não domino o assunto suficientemente para obter atenção;

3) Não tenho autoconfiança.

As pessoas só irão prestar atenção em você mediante três fatores:

1) Você precisa detectar quais são as necessidades delas;

2) Procure saber muito sobre o assunto que irá abordar;

3) Prepare-se incondicionalmente para o que vai falar.

Muita gente pode achar comum a falta de interesse das pessoas não quererem te ouvir, porém tenha certeza de que não é normal. Os fatos que coloco neste artigo fizeram parte da minha história por muito tempo, até que eu caí na real.

Portanto, se isto também está acontecendo com você leia e releia com carinho tudo o que eu relato aqui, isto é muito sério.

Você gostaria de ter uma mentoria totalmente grátis comigo para melhorar a maneira como você se comunica? Então acessa este link aqui http://bit.ly/desbravandofronteiras e preencha seu formulário. Terei o maior prazer em conversar com você e lhe ajudar.

Sucesso sempre!

Como reage seu emocional ao falar em público?

Eu quero iniciar este artigo lhe colocando três situações:

Situação 1 – Você está em uma reunião de trabalho e foi convidado e falar à equipe de improviso;

Situação 2 – Você terá que realizar uma apresentação acadêmica e tem 5 dias para se preparar;

Situação 3 – Um dos funcionários faltou e você terá que substitui-lo em uma importante reunião.

Considerando que você seja uma pessoa que tem pavor de falar em público, como ficaria seu emocional nestas três situações?

Você muito provavelmente sentiria pânico nas três, não é verdade? Em qual seria mais doloroso pra você? O fato é que sentir mais dor ou menos dor é um fator 100% interno.

Já ouvi pessoas falarem que morrem de medo de seus chefes ou de sua equipe, que se comunicar com eles é a pior coisa que existe na vida.

Se usarmos uma analogia seria como uma pessoa que tem pavor de barata enxergar um elefante ao se deparar com aquele minúsculo. Minha pergunta é: A barata é um elefante? Claro que não! Então onde está esta transformação de animais e tamanhos? A resposta é: DENTRO DE VOCÊ!

Na sua mente mais profunda há muitas coisas enraizadas, entre elas fatos do passado que podem se intrometer no seu presente e futuro se assim você permitir. Estes fatos se não forem detectados, bombardeados e de preferência eliminados lhe darão muita dor de cabeça.

Um dos exemplos de que sua mente está cheia de fatos enraizados é que você deve ter muitos traumas guardados, como talvez o de falar em público. Pode ser que em um passado próximo ou distante você tenha sofrido bullying ou tenha sido vaiado perante um grupo de pessoas. Isso foi o suficiente para que você não quisesse mais encarar uma audiência, independentemente do tamanho.

Eu tive este problema quando criança, sempre fui uma criança gordinha e sofria muito bullying (o termo era outro na época) e o resultado disso era não querer futebol com os colegas, pois minha performance era muito aquém devido meu peso.

Pessoas que ficam muito presas ao passado têm tendência de ter depressão, porque acionam suas crenças e valores que não voltarão mais. O problema de falar em público é exatamente este para quem valoriza o passado.

Por outro lado, pessoas que ficam muito presas ao futuro, querendo adivinhar o que irá acontecer têm tendência de sofrer de ansiedade.

Eu também já sofri deste problema, queria que as coisas acontecessem e fossem resolvidas à minha maneira e não sabia relaxar. O interessante é que eu não ganhava nada com isso, assim como ninguém ganha.

Como então isso foi resolvido em mim? Focando no presente, simplesmente. Ao falar em público mantenha no que vai dizer se libertando de armadilhas passadas e futuras. Aqui vão quatro dicas que ir]ao te ajudar:

1) Lembre-se de que as pessoas que irão lhe assistir supostamente não sabem o que você irá apresentar, portanto procure dominar ao máximo o assunto;

2) Se houver muita gente olhando, procure não olhar nos olhos delas, foque no cabelo ou no máximo na testa;

3) Entenda 100% do que você vai falar, se algo não fizer sentido para você então estude mais. Afinal de contas, como você irá explicar algo que nem você entende?

4) Se você sentir que está lhe dando o famoso “branco” é porque sua concentração está no passado (“Meu Deus, eles não estão gostando. Está vendo? Eu já fiz isso uma vez e foi um desastre, então porque eu insisto?”) ou no futuro (“Meu Deus, eles estão me olhando de maneira diferente, com certeza não estão gostando”.) O que fazer? Foque no PRESENTE!

Portanto, saiba que sua mente está rodeada de “coisas” que podem lhe prejudicar e elas estão ligadas ao passado e ao futuro.

Então viva o presente! Vá para frente de sua plateia confiante de que naquele momento você está mais preparado do que eles, certo?

Quer adquirir mais conhecimento de como fazer uma apresentação diferenciada? Então clica neste link aqui http://bit.ly/treinamentoMP e saiba mais sobre o treinamento MASTER PRESENTER. Um evento que poderá lhe levar rumo ao sucesso.

 

Sucesso sempre!

Como superar a glossofobia?

João (nome fictício) realiza o sonho que vinha buscando há muito tempo: finalmente ele consegue a tão desejada promoção.

Ele acabara de sair da sala de seu diretor com a notícia de que em uma semana assumirá o cargo de gerente de vendas deixando o de vendedor exercido por 5 anos.

No dia seguinte João é chamado novamente à sala de seu diretor para receber uma notícia que lhe fez tremer, em seu primeiro dia como gerente de vendas ele seria apresentado à sua equipe e comandaria sua primeira reunião.

Ao receber esta noticia, João começou a disparar um processo que é muito comum a ele quando tem que falar em público: pânico.

O pânico de falar em público é chamado tecnicamente de “GLOSSOFOBIA”, glosso – língua e fobia – medo ou temor e assim como o João, milhões de pessoas sofrem deste problema.

Não há ainda uma causa exata para a glossofobia, porém pode ser que traumas no passado possam ter provocado este medo, fazendo com que as pessoas que possuam este problema apresentem picos de ataques de pânico caracterizados por sudorese ou tremores, boca seca, náuseas e vômitos em casos extremos, rigidez nos músculos do pescoço e nas costas, voz tensa, fraca ou trêmula entre outras coisas.

Além dos possíveis traumas do passado, a baixa autoestima e o perfeccionismo podem também ser causas muito fortes da glossofobia.

Mas há cura para tal problema? A experiência de quem trabalha com educação há mais de 30 anos me ensinou que o autoconhecimento é o melhor remédio para pelo menos minimizar os problemas causados pela glossofobia. Todavia, eu listo abaixo algumas dicas que acredito serem muito importantes para você que deseja viver sem este trauma (caso tenha, é claro!)

  1. Tenha pleno domínio do assuntoQuanto mais você dominar o assunto que você irá falar, melhor. Estude-o profundamente, tire algum tempo para considerar possíveis questionamentos da plateia para poder construir seus argumentos.
  2. Elabore um roteiro de segurança – Planeje antecipadamente e cuidadosamente a sua apresentação, incluindo áudio ou ajudas visuais que você vai usar. Tais recursos lhe ajudarão a criar mais solidez ao que irá falar. Quanto mais organizado for, menos nervoso você ficará. Leve com você um pequeno cartão no bolso com os tópicos que irá falar. Se possível, tire tempo para visitar o local onde você estará falando e avaliar equipamentos disponíveis antes de sua apresentação.
  3. Ensaie antes da apresentação – É muito bom você ensaiar sua apresentação antes do dia D. Mostre-a para algumas pessoas com quem você se sente confortável. Peça-lhes para lhe dar feedback. Se achar necessário, grave com uma câmera de vídeo e se assista de modo que você possa enxergar oportunidades de melhoria.
  4. Respire fundo – A respiração ajuda a oxigenar o cérebro. Procure respirar profundamente e lentamente antes de começar sua apresentação.
  5. Concentre-se em seu material – Apesar de você estar se apresentando para contemplar sua plateia, é importante ter em mente que as pessoas não sabem o que você irá mostrar a elas. Portanto, se você se concentrar em seu material elas não perceberão o seu nervosismo e não percebendo irão gostar do que assistirão.
  6. Não tenha pressa de acabar – Se você perder o controle do que você está dizendo ou começar a se sentir nervoso e der branco, faça pequenas pausas. Isto demonstra que você está raciocinando em cima do que está dizendo e é muito bom, as pessoas gostam.
  7. Busque apoio – Hoje em dia é muito comum haver grupos de um mesmo tema, procure algum que ofereça apoio a pessoas que têm dificuldade em falar em público, presencial ou virtual (Facebook ou WhatsApp, por exemplo).

Se você prestar atenção, todas as dicas que dou acima precisam ter um autocontrole grande e para isso acontecer o autoconhecimento é fundamental.

Outra dica que dou é começar devagar, apresente-se para pequenas plateias e logo dominará as maiores.

Além das dicas que escrevo neste artigo eu também preparei um e-book que ensina 5 passos para uma comunicação eficaz totalmente baseado nos meus mais de trinta anos de experiência lidando diretamente com audiências através de aulas, palestras, seminários, workshops e treinamentos.

Então clica neste link aqui http://bit.ly/apresentaçãocincodicas e faça já o download do e-book “Aperfeiçoe sua apresentação em 5 dicas”. É GRÁTIS!

Sucesso sempre!

Você sabe transmitir o que deseja?

Você já foi desafiado a falar em público? Acredito que já teve esta experiência, não é mesmo? E como foi? Você se sentiu tranquilo, à vontade ou foram os piores momentos de sua vida?

O jornal Sunday Times fez uma pesquisa e constatou que a população Americana tem mais medo de FALAR EM PÚBLICO do que de MORRER, isso mesmo, exatamente o que você acabou de ler.

Pessoas que falam à vontade em público apresentam as seguintes características:

1) Conhecem bem do assunto que falam;

2) Ensaiam incansavelmente até atingirem o ponto que desejam;

3) Preocupam-se mais com o outro do que com elas;

Eu comecei minha carreira como professor aos 17 anos e os três itens que pontuei acima eram totalmente desconhecidos por mim, eu não me importava muito em conhecer o assunto com excelência, não ensaiava quase nada e a preocupação era mais comigo.

As consequências disso é que de vez em quando aparecia um aluno que fazia uma pergunta que me derrubava, não por maldade mas por despreparo meu, além disso a falta de ensaios e treinos faziam com que eu não passasse segurança.

Após apanhar bastante e observar grandes gurus da docência eu decidi mudar minha postura para que pudesse contemplar 100% quem me ouvisse e os resultados foram e têm sido incríveis, pois eu entendi definitivamente que eu sou um meio e não um fim.

Portanto, se você deseja se comunicar de maneira eficaz siga pelo menos os 3 passos que escrevi acima e entenda que você não é o centro das atenções e sim sua audiência.

É claro que os três passos não são os únicos a serem levados em conta, há muito mais para você absorver.

Pensando nisso é que gostaria de lhe dar um presente, um e-book que ensina 8 passos para uma comunicação eficaz totalmente baseado nos meus mais de trinta anos lidando diretamente com audiências através de aulas, palestras, seminários, workshops e treinamentos.

Então clica neste link aqui http://bit.ly/apresentaçãocincodicas e faça já o download do e-book “Aperfeiçoe sua apresentação em 5 dicas”. É GRÁTIS!

Sucesso sempre!

O que eu preciso fazer para decolar?

Você já viu uma águia levantando voo? Já reparou a maestria com que ela sai do chão rumo ao destino a que se propõe?

Como ela consegue fazer aquilo? E como ela aprendeu? Ou será que ela já nasceu sabendo voar? Será que ela nunca caiu e falhou quando mais jovem?

Somos todos águias, porém muita gente não sabe e outras tantas não se consideram. Na verdade, com todo respeito, muitas pessoas acreditam que nunca serão águias por se considerarem galinhas.

A diferença mais gritante entre a águia e a galinha é que uma voa e a outra não. Ora, qual das duas tem a maior possibilidade de ver o mundo de ângulos diferentes?

Respondendo as perguntas do segundo parágrafo, a águia não nasceu sabendo voar e certamente caiu de muitas árvores até aprender. O que ela se propõe a fazer então? Ela acredita que nasceu um pássaro e é comum que eles voem.

Você já parou para prestar atenção quantas possibilidades de mudanças apareceram e aparecem na sua vida em forma de oportunidades todos os dias? E que tais possibilidades poderiam e podem lhe ajudar a decolar?

Para que você agarre uma oportunidade é necessário ficar antenado nas coisas que tem a ver com aquilo que você se propõe e quer desenvolver. Outro ponto importante é o preparo e quando você alia as duas coisas (oportunidade e preparo) você alcança resultados.

Decolar na vida significa ter ambição de sair do chão, disposição para encarar dificuldades e foco para não se deixar desviar tão facilmente por fatores externos.

O que eu quero pra mim como profissional? Como quero ser reconhecido? Quais patamares quero alcançar? O que preciso fazer e quando chegarei onde desejo?

Estas e outras perguntas eu costumava e costumo me fazer quando estou me propondo a alcançar algo que me proponho.

Ter uma conversa com você sempre ajuda no posicionamento de seu estado atual equiparado ao seu estado desejado. Você passa a perceber 3 fatos muito importantes sobre você:

  1. Você passa a entender quais seus pontos fortes;
  2. Você reconhece que há pontos internos a serem melhorados;
  3. Através dos pontos fortes você passa a prestar mais atenção nas oportunidades, pois a partir dai se sente mais capaz;
  4. Seus pontos não tão fortes o levarão à percepção de que eles precisam ser melhorados, senão as ameaças do mercado irão lhe bloquear constantemente;
  5. O conjunto desta análise lhe ajudará e muito a trilhar uma rota rumo à decolagem para uma vida melhor.

Você que me lê neste momento, acredite que você é uma águia ou poderá ser uma se assim desejar. Deus lhe deu asas, porém você precisa fazer com que elas se movimentem e o primeiro passo é se autoconhecer. É claro que não é só isso, mas é o começo. Todavia, eu garanto que se autoconhecendo cada vez mais os outros fatores serão somente externos e você terá mais condições de suplantá-los.

 Este artigo fez sentido para você? Gostaria de saber mais? O que acha de participar de um programa que lhe proporcione a experiência de poder atingir suas metas e fazer você decolar sentindo-se como uma águia?

Se tudo isto faz sentido para você então clica neste link aqui http://bit.ly/Método3Ps e saiba como iniciar o processo de alçar voos cada vez mais altos

 

Sucesso sempre!

Quando as portas se fecham o que fazer?!?!

Talvez no momento em que você esteja lendo esta mensagem muitas portas estejam fechadas ou se fechando na sua vida. Problemas financeiros, profissionais, conjugais, etc.

Muitas vezes nos perguntamos a razão de haver escassez em alguns âmbitos de nossas vidas e a tendência é que coloquemos a culpa e a responsabilidade em fatores externos, mas o que deve-se fazer quando as portas se fecham à nossa frente?

Você está indo bem em um projeto (pelo menos você acredita que esteja), de repente você começa a perder terreno, a abundância é trocada pela escassez e todo o castelo que você tinha construído desmorona e não sobra nada. Qual é a sua atitude?

Você pode estar se perguntando em qual aspecto da vida eu estou me referindo e posso lhe dizer tranquilamente que pode ser qualquer um que você deseja, pense naquele que ultimamente tem tirado o seu sono.

Acontece que todo ser humano sonha com algo bem melhor para a sua vida em qualquer aspecto, porém às vezes as ferramentas que você escolheu para lhe levar até onde deseja podem começar a enferrujar e você não consegue pensar em uma solução imediata. É comum pessoas entrarem em pânico quando aquilo que sempre sonhou precisa ser interrompido.

No momento do pânico é mais saudável pensar na solução do que focar no problema, apesar de que talvez não seja uma tarefa fácil tirar o foco do problema entenda que a solução é só o que lhe resta fazer, amplie sua mente.

FOCO NA SOLUÇÃO! Durante muito tempo esta frase soava na minha mente como algo impossível de acontecer, eu me perguntava como eu poderia pensar em solução se o problema é enorme?

Todavia, ao longo de meus estudos e da minha maturidade pessoal e profissional aprendi a fazer algo que talvez muita gente desconheça hoje em dia: VIRAR A CHAVE.

Amandio, o que significa virar a chave? É pensar no que você quer ao invés de pensar no que não quer. Eu vou lhe dar um exemplo:

Pedro (nome fictício) tinha acabado de perder o emprego, motorista de ônibus muito competente foi pego de surpresa quando ele e mais dezenas de outros profissionais foram demitidos pela “crise” que puxou o tapete da empresa que trabalhava.

Desesperado, a primeira coisa que Pedro pensou foi: Onde irei conseguir outro emprego com 52 anos de idade?”. Outro pensamento que veio forte foi: “E agora como irei sustentar minha família?”.

Pedro não dormia direito e deixava estes e outros pensamentos tomarem conta de sua mente lhe tirando a paz.

Eu conhecia Pedro há algum tempo, tive uma conversa informal com ele sobre Coaching e ofereci algumas sessões para ele no intuito de ajudá-lo a virar a chave.

Durante as sessões Pedro aprendeu a focar no que queria, nas suas habilidades, competências, pontos fortes e oportunidades que poderia aproveitar para suprir suas necessidades.

Pedro deu a volta por cima, o inicio foi difícil (como sempre acontece). Ele teve que quebrar as barreiras do medo, da incerteza, da fragilidade.

Hoje Pedro dirige seus próprios veículos (já são 3 vans) que prestam serviços para empresas de turismo e outros segmentos.

O relato que acabei de escrever é verídico, assim como todos os que conto. A moral desta história é que virar a chave requer muito mais do que simplesmente querer e o processo de Coaching pode lhe ajudar e muito.

Assim como a situação de Pedro, você pode mudar a história de sua vida em qualquer aspecto e eu posso te ajudar.

Portanto, se você deseja virar a chave da sua vida e precisa de ajuda, eu quero te fazer um convite.

Eu quero te convidar para uma sessão experimental de Coaching online, acesse http://bit.ly/AJcontato e marque um horário para conversarmos, é um encontro de apenas uma hora e eu terei o maior prazer em atender você.

Eu trabalho com educação há mais de 30 anos e minha missão de vida é melhorar a vida das pessoas e empresas através da multiplicação do conhecimento e realmente eu levo isso muito a sério.

Então se você realmente quiser a minha ajuda clica no link http://bit.ly/AJcontato e marca este encontro comigo venha fazer parte desta história.

Sucesso sempre!

Não existe meio termo, ou é ou não é! Saiba o porquê

Você já viu uma mulher meio grávida? Tenho certeza absoluta que não e sabe por quê? Não existe meios termos na vida, ou você trata de fazer o que deve ser feito ou você irá sofrer algum tipo de consequência.

Eu sou o Master Coach Amandio Junior e este é o artigo da semana.

Infelizmente muitas pessoas vivem em cima do muro para tomar algumas decisões e como saber se elas estão nesta posição? É só prestar atenção no que declaram e suas atitudes.

Algumas frases e palavras são a senha para a indecisão: “talvez”, “não sei”, “quem sabe”, mais ou menos” e uma infinidade de outros termos que colocam as pessoas em cima do muro.

Quando você não parte para uma atitude decisória e fomenta a indecisão você deixa de eliminar algumas coisas e aprender com outras. Fica comigo até o final que eu te conto o que você perde e ganha potencializando a indecisão.

Ter dúvidas é algo que é típico do ser humano, o problema é quando não se faz nada para chegar a uma solução e depois fica se autoflagelando com arrependimentos.

Eu tive uma pessoa como cliente de Coaching que estava em uma dúvida enorme sobre continuar com a empresa que já geria há 5 anos ou trocar para outro segmento. A grande dúvida dela era qual seria o outro segmento a escolher.

Ela contratou sessões de Coaching para poder se definir. A única coisa que ela tinha certeza era de que não queria mais a empresa que possuía.

Ela estava com muitas dúvidas se deveria mudar e também em que mudar. Eu apliquei algumas ferramentas durante a sessão para que ela pudesse primeiramente elencar os segmentos que lhe dava prazer e depois, através de eliminação, os que poderiam lhe proporcionar retorno financeiro.

Através das ferramentas que usei a pessoa conseguiu chegar a um consenso e finalmente descobrir o que realmente gostaria de empreender. A partir daí começou a desenvolver um plano de ação para começar seu mais novo negócio.

Todavia, eu posso dizer com toda a certeza que o grande diferencial para a decisão da pessoa tomou foi entender que ficar na zona do meio não iria ajudar em nada, pelo contrário, o tempo iria passar e cada vez mais a insatisfação de empreender em algo que não a deixava feliz iria aumentar.

O que acabei de relatar é o que acontece em uma sessão de Coaching. Geralmente o/a coachee tem algo em mente que gostaria de realizar, porém não sabe qual caminho tomar e as dúvidas são inúmeras.

Com o direcionamento das sessões você poderá decidir qual o melhor caminho a seguir dentro daquilo que você acredita ser o melhor para você.

Eu quero te convidar para uma sessão grátis de Coaching online, acesse http://bit.ly/AJcontato e marque um horário para conversarmos, é um encontro de apenas uma hora e eu terei o maior prazer em atender você.

Você pode estar se perguntando o porquê de eu estar te oferecendo um encontro de graça, deixa eu te explicar.

Eu trabalho com educação há mais de 30 anos e minha missão de vida é melhorar a vida das pessoas e empresas através da multiplicação do conhecimento e realmente eu levo isso muito a sério.

Portanto, se você realmente quiser a minha ajuda clica no link http://bit.ly/AJcontato e marca este encontro comigo.

Sucesso sempre!