Como ser um líder de sucesso

Liderança é algo que as empresas buscam constantemente nas pessoas que estão à frente dos setores e suas respectivas equipes, um desafio nada fácil de ser encarado, porém quando bem alinhado com o planejamento e cultura organizacional da instituição as chances de dar certo aumentam consideravelmente.

Eu já citei em vários dos meus artigos e de meus treinamentos que um líder não nasce da noite para o dia, não é somente pegar alguém da equipe que trabalha há muito ou algum tempo na empresa ou contratar alguém que supostamente tenha experiência em gerenciar e colocar na função de líder acreditando que está tudo resolvido.

É muito comum encontrar gestores, diretores, gerentes e supervisores que não conseguem exercer nenhuma liderança em seus liderados, sem forças para imprimir um ritmo de trabalho cujo bem comum é a empresa. Todavia, é mais comum ainda encontrar estes mesmos líderes que desagregam criando um clima tenso dentro das empresas.

O que causa tudo isso? Falta de preparo, de capacitação, de um entendimento mais amplo do ser humano, pois nada do campo técnico funcionará bem se o comportamental não andar bem.

Muitas pessoas exercem cargos de liderança sem conhecer a cultura da empresa, sem autoconhecimento, sem entender de planejamento estratégico e de pessoas. Portanto, ressalto uma pergunta: Como ser um líder de sucesso?

Eu até agora enumerei vários motivos para que uma empresa fracasse ao colocar uma pessoa sem preparo para exercer um cargo de liderança. Contudo, terminar este artigo sem lhe dizer que há solução seria muita leviandade de minha parte. Portanto, seguem algumas dicas importantes para que você se torne um líder de sucesso:

banner-do-site amandio junior ebook construindo resultados

  1. Esteja preparado. Se você almeja exercer um cargo de liderança em alguma empresa ou mesmo na sua, capacite-se, busque ampliar seus conhecimentos na área.
  2. Goste de pessoas. Parece óbvio o que vou falar, mas você irá liderar pessoas esse você não gostar de pessoas não irá muito longe.
  3. Conheça a cultura organizacional da empresa. Você não irá muito longe se não conhecer qual o mecanismo de funcionamento da empresa, pois é dele que você poderá alinhar os objetivos em comum da sua equipe.
  4. Seja organizado. Uma pessoa que deseja liderar, porém se não for boa em planejamento precisa rever seus conceitos. Liderança e planejamento devem andar lado a lado o tempo todo.
  5. Tenha metas consistentes. O líder sempre sabe para onde deseja levar sua equipe e é muito respeitado por isso. Portanto, além de saber seus objetivos inclua seus liderados em seus planos.
  6. Cuidado com a sua imagem. Talvez você não saiba, mas você como líder está em uma posição muito grande de exposição, desta maneira qualquer movimento que você faça você será visto como um exemplo, seja positivo ou negativo.

Qualquer funcionário de uma empresa deseja uma promoção e muitas vezes as oportunidades aparecem. Olhe com carinho para as dicas que lhe dei acima e se você realmente almeja um cargo de liderança, siga-as e verá como você se sentirá muito mais preparado.

Deseja aprender mais? Para você que reside em Belém e região, eu gostaria de lhe fazer um convite. De 28 a 31/08/2017 eu ministrarei o treinamento Formação Leader Coaching. Um evento que vai lhe ensinar como exercer a liderança através do autoconhecimento e com a postura Coaching. Alguns dos assuntos tratados são:

– Melhor entendimento do que é Coaching;

– Os benefícios da postura Coaching na relação com o liderado;

– Entenda e pratique o modelo ACTION para liderar;

– Estilos comportamentais e suas influências na equipe (autoconhecimento);

– Feedback;

– Elaboração de metas;

– E muito mais!

Venha participar deste treinamento comigo, eu sou o Master Coach Amandio Junior e quero te ajudar a potencializar o seu estilo de liderança. Acesse este link e faça sua inscrição: https://www.eventbrite.com.br/e/formacao-lider-coach-tickets-36416645166. Estou lhe aguardando.

Sucesso sempre!

Liderar ou ser liderado, qual a sua opção?

Nos últimos anos houve um crescimento considerável no número de empresas abertas no Brasil, infelizmente assim como abrem fecham em tempo recorde. Dizer que é falta de gestão é algo óbvio e redundante, porém se falarmos mais especificamente, qual é o ponto crucial que faz uma empresa fechar suas portas de maneira tão prematura?

Se você é aquela pessoa que aceitou o desafio de ter seu próprio negócio, eu tenho uma pergunta a lhe fazer: “O sua postura é de dono ou de empregado?” Os dois lados têm particularidades muito fortes: Postura de dono é aquela em que você é o principal e único responsável por tudo o que acontece dentro do seu estabelecimento simplesmente porque tudo o que tem lá foi você quem escolheu; postura de empregado é aquela em que você age como se o negócio não fosse seu, delegando para outras pessoas o que é de sua responsabilidade, tendo “peninha” de pessoas que não querem lhe dar os resultados que nem você muitas vezes sabe quais quer almejar.

Um dos pontos cruciais que falo no início deste artigo causador de tanta falência das empresas no Brasil é a negligência de seus gestores na gestão de pessoas, mas especificamente na liderança exercida. Geralmente há um foco muito forte em vendas, em faturamento, em enriquecer em curto e se possível em curtíssimo prazo e consequentemente um esquecimento enorme no cuidado com as pessoas.

Liderar pessoas não é tarefa fácil, porém de extrema importância para o andamento de qualquer corporação, afinal de contas não há empresa sem pessoas, tanto internamente em forma de funcionários como externamente em forma de clientes.

Eu gostaria que neste momento você se fizesse a seguinte pergunta: “Você exerce a auto liderança?” Auto liderança é a atitude através da qual as pessoas direcionam a si próprias, no sentido de realizar as tarefas e procedimentos necessários para alcançar determinado objetivo.

Na minha experiência em conviver com gestores pelo Brasil eu percebo que há uma falta muito grande de autoconhecimento, falta de preocupação de eles entenderem como agem e se comportam. Então veja como isso resulta em um efeito dominó: eu tenho empresa, tenho pessoas nela, tenho pessoas como clientes, porém não conheço e nem entendo de pessoas porque não procuro primeiramente me conhecer e me entender.

É por isso que algumas pessoas repetem frases clichês como: “eu não nasci para mandar”, “eu era feliz como funcionário e não sabia”, “não entendo o porquê de minha vida profissional não decolar”.

banner-do-site amandio junior ebook construindo resultados

Eu gostaria de lhe dar algumas dicas para que você não fique repetindo estas frases que mencionei há pouco, tampouco mergulhe no sentimento de que você não nasceu para ser líder e sim para ser liderado.

1) Exerça o autoconhecimento. Procure regularmente refletir sobe seus pontos fortes e fracos, perceba o que você pode melhorar e potencializar;

2) Seja realista com você mesmo. Lembre-se, você só pode dar aquilo que tem. Portanto, evite ficar se autoflagelando quando algo não sair do jeito que você quer, ao invés disso procure saber o que pode fazer de diferente para que saia do seu jeito;

3) Saiba onde está e onde quer chegar. Onde você gostaria de estar daqui a 5 anos? O que você tem feito para alcançar o que deseja? Vou aqui expressar uma frase muito repetida no mundo dos negócios proveniente do filme “Alice no País das Maravilhas”: “Se você não sabe aonde quer chegar, qualquer lugar serve”.

4) Tenha mente aberta para aprender. Evite cair no erro de achar que sabe tudo, principalmente quando se trata de autoconhecimento. Se você começar a olhar mais para dentro de si vai perceber que há muito que aprender sobre você mesmo.

5) Busque ajuda. É tolice achar que você não depende de outras pessoas. Se não estiver conseguindo buscar as respostas internas que necessita procure um profissional, faça sessões de Coaching ou até mesmo terapia para que você possa ampliar seu autoconhecimento.

Para você que reside em Belém e região, eu gostaria de lhe fazer um convite. De 28 a 31/08/2017 eu ministrarei o treinamento Formação Leader Coaching. Um evento que vai lhe ensinar como exercer a liderança através do autoconhecimento e com a postura Coaching. Estes são alguns dos assuntos tratados:

– Melhor entendimento do que é Coaching;

– Os benefícios da postura Coaching na relação com o liderado;

– Entenda e pratique o modelo ACTION para liderar;

– Estilos comportamentais e suas influências na equipe (autoconhecimento);

– Feedback;

– Elaboração de metas;

– E muito mais!

Venha participar deste treinamento comigo, eu sou o Master Coach Amandio Junior e quero te ajudar a potencializar o seu estilo de liderança. Acesse este link e faça sua inscrição: https://www.eventbrite.com.br/e/formacao-lider-coach-tickets-36416645166. Estou lhe aguardando.

Sucesso sempre!

Procrastinação, o prazer que causa desprazer.

Você conhece a palavra procrastinação? Ela vem do Latim Procrastinatus (pro – à frente e crastinatus – de amanhã, em prol do amanhã). A pessoa que procrastina é aquela que deixa de executar uma tarefa no momento e deixa para depois.

O ato contínuo de procrastinar pode ser sinal de problemas psicológicos ou fisiológicos, todavia o fato é que este hábito só traz atraso de vida em diferentes sentidos.

Então se procrastinar é tão maléfico, qual o sentido das pessoas não fazerem o que tem de ser feito, mesmo sabendo que o resultado final pode ser muito melhor do que o quadro da situação atual?

Você tem o hábito de procrastinar? Se não, parabéns. Se sim, você já parou para analisar a razão para tal? E o seu sentimento após a procrastinação, qual foi?

Há várias razões para a procrastinação e nenhuma delas acontece de fora para dentro, saiba você. Eu gosto de enfatizar isso porque há uma tendência do ser humano de querer colocar a responsabilidade em fatores externos para justificar seus fracassos. Abaixo coloco algumas destas razões:

  1. Falta de foco. Quando você não sabe aonde quer chegar procrastinar se torna algo muito fácil de acontecer, pois seu subconsciente vai ficar lhe questionando o porquê de sair do lugar já que não tem propósito definido.
  2. Insegurança e dependência das outras pessoas. Acreditar que você sempre precisará de alguém para realizar algo é um prato cheio para a procrastinação, pois você se sente amarrado àquela pessoa para sair do lugar. Um erro gritante!
  3. Medo das críticas. Quando isso acontece é porque você não está completamente seguro do que está fazendo e se expor é um tormento. Todavia, entenda que você será criticado de qualquer maneira, com ou sem experiência.
  4. Perfeccionismo. O grande filósofo Leandro Karnal diz que não somos perfeitos e sim perfectíveis, pois perfeição significa feito até o fim, do Latim perfectum. Entenda que a perfeição é algo que sempre será perseguida, cuidado para não cair no erro de procrastinar algo por não alcançá-la.
  5. Falta de organização e disciplina. Você provavelmente já disse pra si mesmo que deixou de fazer algo por falta de tempo, não é mesmo? A pergunta é: Será que realmente foi a falta de tempo que lhe atrapalhou ou você não soube se organizar e muito menos ter disciplina para tocar um planejamento em frente?
  6. Baixa autoestima. O sentimento de que não adianta você fazer algo porque não se sente capaz faz com que a procrastinação lhe corroa completamente. Desestímulo e desmotivação são alguns dos fatores que causam a queda da autoestima e consequentemente à procrastinação.

banner-do-site amandio junior ebook construindo resultados

O mais curioso e triste da procrastinação é a impressão que você cria de que adiando algo naquele momento não irá lhe afetar em curto prazo. “Amanhã eu faço”, “amanhã eu vou”, etc. Estas frases ecoam o tempo na mente do procrastinador.

Meu pai era do tipo de pessoa que exigia que os filhos fossem ao médico regularmente, porém adiava sua ida todo o tempo, alegando que não precisava de médico e que só adoecia um dia, no outro já estava bem.

Eu trouxe o exemplo do meu pai para lhe mostrar que a procrastinação pode estar em qualquer aspecto da sua vida, portanto não deixe que ela tome conta da sua vida. Aqui vão algumas dicas:

  1. Saiba o que você realmente deseja.
  2. Reflita se o que deseja é realmente relevante para aquele momento da sua vida.
  3. Analise os recursos que tem e os que vai precisar para alcançar o que deseja.
  4. Crie um plano de ação para cada etapa que você irá passar.
  5. Foco, disciplina e determinação são fundamentais para este processo.
  6. Celebre sua vitória.

Entenda que você irá precisar de 1% de inspiração e 99% de transpiração para alcançar seu objetivo, porém ao final você perceberá que realmente terá valido à pena. O mais importante é que você não fique à mercê da procrastinação, senão ao abrir os olhos você poderá ter perdido muitas oportunidades na sua vida. Pense nisso!

Capacitação, como eu lhe desejo!

Você está satisfeito com seus resultados profissionais? Você tem desejo de buscar mais aprendizado dentro da sua área ou em outra que você se sinta atraído? Se sim, então a pergunta é: “o que está lhe impedindo de ir em frente?” Será que um planejamento bem feito para lhe conduzir ajudaria?

Estamos em plena época do conhecimento, a tecnologia está cada vez mais acelerando a chegada e saída das informações, portanto quem não procura aumentar seu grau de conhecimento em sua profissão fica para trás muito rapidamente. Neste exato momento em que você lê este artigo tem alguém criando algo novo na sua área de atuação, esta criação pode ser em formato de um livro, equipamento, vídeo, etc. Na verdade o que menos importa é qual a maneira que está sendo criada, o importante é que você entenda que o mundo está girando e muito depressa.

O que faz então algumas pessoas acreditarem que o que sabem é o suficiente para sustentar seus argumentos por tanto tempo? Será que elas em nenhum momento sentem a necessidade de buscar novos aprendizados? Ou talvez até sintam, porém a falta de uma meta seguida de um planejamento para a mesma seja a causa de toda esta submissão de evolução.

E você, como se encontra neste contexto? Você é daquelas que está sempre procurando se capacitar porque gosta e percebe que é necessário estar sempre à frente na sua profissão? Ou você acredita que já é bom o suficiente para exercer o que se propõe?

Um dito popular fala que se alguém acredita que já sabe tudo na vida está morto e não sabe. Há alguns anos eu conheci um empresário no ramo de supermercados que declarava abertamente que se importava somente com dinheiro no seu bolso e mais nada. Um dia eu perguntei a ele se ele tinha o hábito de ler sobre mercado, economia, sobre seu ramo e tudo que girava em torno de seu negócio, sua resposta foi negativa e que não pretendia começar.

O tempo passou e por falta de gestão seus dois supermercados faliram. Depois de um tempo eu o encontrei e conversamos sobre diversos assuntos, então perguntei a ele como estava seu ramo, se valeria a pena tentar novamente e é claro o que tinha levado suas empresas a este trágico fim. Era nítido como ele não tinha argumentos sólidos para me responder nenhuma das perguntas que fiz, seu nível de conhecimento sobre economia, mercado e seu negócio era muito baixo, ele entendia muito de operacional e quase nada de estratégico ou tático.

banner-do-site amandio junior ebook construindo resultados

Você pode muito bem estabelecer metas para aprender algo novo ou dar continuidade no que você já se propõe a aprender. Seguem abaixo algumas dicas importantes para você seguir:

  1. Perceba a necessidade da capacitação;
  2. Busque no mercado os lugares aonde irá se capacitar (formações online, presenciais, etc.);
  3. Encaixe em um horário que não atropele seus outros afazeres;
  4. Faça um cronograma de estudo;
  5. Ponha em prática o que está aprendendo;
  6. Planeje-se para o próximo evento.

Como você se sente quando está atualizado na sua profissão? Você consegue contemplar o outro mais ou menos? Tenho certeza que muito mais, além disso, você consegue ser muito mais visto no mercado que você atua. Portanto, evite parar no tempo, procure se capacitar mais e mais de maneira consistente com metas e planejamento bem traçados. Você só tem a ganhar com isso.

Vamos ampliar seu entendimento sobre meta? Assista uma aula que preparei especialmente para você que vai potencializar a maneira como você estabelece suas metas.

Para assistir a aula basta clicar nesse link: QUERO ASSISTIR A AULA!

Metas, para onde irei sem elas?

Eu tenho conversado com algumas pessoas que me questionam o porquê de eu considerar metas tão importantes para o bom desenvolvimento de algo tanto no âmbito pessoal como profissional. O que eu sempre digo é que através das metas e de um bom planejamento dos mesmos torna-se muito mais fácil obter resultados expressivos. Todavia, este argumento muitas vezes não é o suficiente para fazê-las aderir às metas.

Na minha experiência com empresas tenho percebido que há uma certa resistência por parte dos gestores de se criar metas e mais ainda dos funcionários de segui-las. A impressão que eu tenho é que elas são criadas somente por uma questão de dizer que há esta cultura nas instituições, porém como não é algo que está enraizado nada acontece na prática.

Em outra oportunidade eu citei que um dos fatores para que não haja metas bem feitas nas instituições e na vida das pessoas seja porque muitas dizem que dá trabalho pensar e mais ainda executar o que se propôs, mas será que é isso mesmo? Será que as pessoas e empresas que declaram tais argumentos não temem outras coisas, como incapacidade, descrédito ou até mesmo incompetência?

Em meu projeto “Construindo Resultados em Estabelecimento de Metas” tenho me deparado com pessoas e instituições com uma autoestima muito baixa. Este projeto pode ser feito em grupos abertos ou em equipes fechadas nas empresas. Em ambos vejo que há um certo clima de tristeza e de insatisfação de maneira geral.

Desde que eu comecei este projeto percebo duas coisas muito fortes: uma que as pessoas estão desacreditadas em si mesmas e também onde trabalham, quando se trata de Coaching em equipe.

Em um dos trabalhos que realizei encontrei uma equipe altamente desmotivada, sem ânimo nenhum para poder desenvolver um trabalho eficaz. Todos, sem exceção diziam que a responsabilidade era da empresa, de seus gestores e de cada membro da equipe, porém ninguém puxava a responsabilidade para si, nem os próprios gestores. Então como resolver este caso?

banner-do-site amandio junior ebook construindo resultados

É muito simples responsabilizar o ambiente externo e eximir-se de um contexto no qual você faz parte, então comecei a colocar “espelhos” na frente de cada um da equipe para que eles pudessem perceber que precisavam olhar para dentro de si e extrair o que tem de melhor para que a empresa como um todo ande em uma só direção. O trabalho foi feito da seguinte maneira:

  1. Autoconhecimento. Através das sessões de Coaching cada um pode fazer um diagnóstico de suas expectativas e de seu estado atual e desejado tanto no âmbito pessoal como profissional;
  2. Quebra de crenças limitantes. Uma dinâmica foi realizada para que cada participante pudesse identificar o que o impedia de progredir em seus ideais;
  3. Alinhamento das metas. Uma equipe precisa ter um caminho só a trilhar, portanto definiu-se o que seria mais importante para a empresa naquele momento;
  4. Detalhamento das metas. O que cada um pode especificamente fazer para que o objetivo final seja alcançado?
  5. Análise SWOT. Quais os pontos fortes e a melhorar da empresa? Quais as oportunidades e ameaças que podem ser aproveitadas e evitadas no ambiente externo?
  6. Plano de ação. Hora de começar a trabalhar de maneira mais intensa, deixando de lado o individualismo e focando somente na equipe e nas soluções.

É muito frustrante trabalhar em um lugar onde cada um tem objetivos individuais, assim como é triste levar uma vida cujo destino é quem manda em você. Metas servem para lhe dar um direcionamento e em minha opinião o primeiro passo é o autoconhecimento. Sem ele é impossível saber de maneira consiste seu potencial e suas limitações.

Como você pode perceber eu levo muito à serio estabelecimento de metas, então eu gravei uma aula online para falar mais sobre como elas podem fazer a diferença na sua vida. Assista!

Para assistir a aula basta clicar nesse link: QUERO ASSISTIR A AULA!

Você tem razões para estabelecer metas?

Você já decidiu alguma vez na que iria fazer algo que provavelmente mudaria sua vida de alguma maneira? Pensou, analisou e no final das contas nada aconteceu do jeito como você gostaria? Talvez isso tenha acontecido com você até mais do que uma vez, certo? E como você se sentiu? Você já parou para pensar qual a razão ou as razões de não ter acontecido como o combinado?

Todos os dias amanhecemos com uma perspectiva de que a vida precisa ser melhor mesmo quando está indo tudo bem, é uma necessidade do ser humano de querer sempre ser o melhor profissional, o melhor marido ou esposa, filho ou filha, ter o melhor carro, a melhor casa ou as melhores roupas. Todavia o que queremos são apenas desejos que muitas vezes não se materializam por não sairmos do papel, da teoria.

Além disso, saímos como os maiores prejudicados quando decidimos fazer algo e não chegamos ao final, fica um sentimento de impotência muito grande e acabamos perdendo as forças momentaneamente para tentarmos novamente o mesmo objetivo ou partir para um desafio diferente.

Mas qual a razão de não colocarmos em prática o que desejamos, já que o ser humano anseia tanto por mudança para melhor? Eu acredito que há 5 razões básicas para que as pessoas não levem adiante seus sonhos são:

  1. Dá trabalho. Sair da zona de conforto e almejar algo a mais é um movimento que requer muito esforço de quem se propõe a querer algo diferente na vida e nem toda vez as pessoas estão dispostas a pagar o preço;
  2. Sentimento de incapacidade. Muitas pessoas não seguem adiante em suas metas porque não acreditam em si, estão cheias de crenças limitantes que a bloqueiam constantemente;
  3. Falta de foco. Quando você não tem algo bem definido no seu coração qualquer ruído externo vai desviar sua atenção.
  4. Não querer mudar. A zona de conforto funciona aqui como um imã segurando as pessoas para não saírem do lugar, contudo a grande verdade é que elas não querem mudança.
  5. Desorganização. Planejamento não combina com desorganização, se você quer ter êxito em suas metas organize-se primeiro.

Uma das ferramentas mais usadas em uma sessão de Coaching é a roda da vida, com ela você pode pontuar vários aspectos da sua vida de 0 a 10 para poder perceber onde você precisa melhorar, se quiser é claro.

Em um determinado momento da minha vida eu apliquei a roda da vida em mim mesmo e percebi que minha vida espiritual precisava ser regenerada, pois a nota tinha sido 2. Aquilo me incomodou muito porque em outros aspectos como profissão, por exemplo, estava muito bem, porém o lado espiritual estava deixando a desejar.

A primeira decisão que tomei foi restaurar minha vida com Deus através de uma aproximação mais intensa. Eu tracei um planejamento aliado a uma dificuldade muito grande que estava passando no momento e hoje posso dizer que estou muito mais perto de Deus e me sinto muito feliz por isso.

banner-do-site amandio junior ebook construindo resultados

Depois de ter feito a roda da vida, refleti sobre todos os aspectos que estavam abaixo de 5. O próximo passo foi ranqueá-los em ordem de prioridade e urgência. O passo seguinte foi saber se o aspecto vencedor no ranking era realmente relevante para que eu começasse primeiramente por ele.

Após ter a certeza na mente e principalmente no coração que aquele aspecto precisava ser trabalhado por primeiro, até para ter um bom andamento nos demais, partir para o planejamento de um passo por vez ficou mais tranquilo, pois eu já sabia exatamente o que eu queria.

Eu acredito que o maior motivador para o estabelecimento de metas é ter a certeza de que a mesma bate forte no seu coração e tem muita relevância para você. Quando você tem a certeza disso poso lhe garantir que quase 50% de sua meta tem uma probabilidade muito grande de ser atingida, os outros 50% virão da força de seu planejamento e de sua determinação.

Assista a uma aula online que eu gravei para aprofundar mais este assunto. Clique no link e aproveite. Um grande abraço!

Para assistir a aula basta clicar nesse link: QUERO ASSISTIR A AULA!

Estabelecimento de metas – O que X o como

Veja se você se deparou com a seguinte situação: o ano está acabando, você começa a perceber que nele você já não vai conseguir muitas coisas em relação ao que tinha planejado, então o que você diz para sim mesmo? “Ano que vem será diferente, pois será o ano em que eu farei A, B, C, D…” e se possível todo o alfabeto.

Quantas coisas você planejou de um ano para o outro e conseguiu realizar? Você já parou para analisar isso? E das que você não conseguiu quais as razões para o insucesso? Você não sabia o que queria ou não soube como alcançá-las?

Acredite, mas na maioria das vezes o como fazer prevalece sobre o que fazer. As pessoas até sabem o que querem, porém não chegam até seus objetivos finais por não saberem como. Saber estabelecer critérios que lhe levarão a dar um passo de cada vez é fundamental para o êxito de sua meta, criando estratégias sólidas para que, se for necessário, ter que mudar algo você irá conseguir, pois possui as ferramentas adequadas.

Então qual é a razão de se planejar o que e negligenciar o como? Porque o como requer planejamento e planejar dá trabalho, então se pensa logo no final da história se esquecendo do inicio e do meio. Outra causa é o imediatismo, o querer logo sem a devida preparação.

Hoje em dia planejar o que quero tornou-se um hábito na minha profissão, não tenho agir de maneira diferente. Este fato ficou muito forte pra mim quando eu saí do ensino de língua estrangeira para a educação empreendedora.

Ao decidir que queria trabalhar com consultoria, treinamentos e palestras voltados para a gestão de pessoas eu fiz um planejamento de 5 anos para poder começar minha carreira solo, já que era gerente de uma instituição de ensino na minha cidade.

banner-do-site amandio junior ebook construindo resultados

Você pode estar querendo me perguntar o que eu fiz para chegar ao final da meta com êxito, apesar de ter tido vários incidentes no meio do caminho que me fizeram mudar de estratégia em prol do que eu queria. O que eu fiz segue abaixo:

1. Estabeleci o que eu queria de maneira bem específica. Eu desejava promover capacitação na área de gestão de pessoas;

2. Busquei os recursos que tinha e os que iria precisar, por exemplo, busquei no mercado uma faculdade onde eu pudesse fazer uma pós, cursos e treinamentos presenciais e online, pessoas que me pudessem mentoriar sobre o que seria melhor para eu seguir como livros, filmes, revistas, etc.

3. Fiz um planejamento de estudos. Eu trabalhava no mercado formal de carteira assinada, então precisava encontrar tempo para minhas capacitações, dedicando uma quantidade de horas semanais para que pudesse aprender sobre meu propósito;

4. Fechei meus ouvidos para algumas pessoas. É comum pessoas que não entendem nada do que você está fazendo dar palpites como se elas fossem experts no assunto. Eu as evitava, principalmente em falar sobre meu propósito;

5. Aproveitava as oportunidades. Toda vez que aparecia alguma oportunidade de fazer alguma palestra ou algo parecido lá estava eu. Além disso, eu procurava levar alguém fosse formador de opinião e que pudesse me dar feedback pontual para minha melhoria.

A sensação de chegar ao final com a meta estabelecida e cumprida foi magnifica, saber o que eu queria já ajudou muito, porém saber como eu iria alcançar meu propósito me deixava mais confiante e fortalecido para conquistar meu objetivo.

Portanto, se você deseja realmente alcançar resultados saiba o que quer, mas principalmente como chegar através de um planejamento bem feito com ferramentas embasadas em bases concretas.

Eu preparei uma aula online para aprofundar este tema, estabelecimento de metas, portanto assista e deixe seu comentário que terei o maior prazer em responder.

Para assistir a aula basta clicar nesse link: QUERO ASSISTIR A AULA!

O poder do Coaching em grupos

O processo de Coaching vem cada vez mais tomando força no Brasil, hoje em dia há muitas instituições que proporcionam formações diversas para que as pessoas ou passem a usar o Coaching como profissão ou para uso próprio.

O fato é que além de haver uma quantidade muito grande destas instituições no país, as pessoas que se formam começam a criar variações do processo e criar nomenclaturas que as colocam rótulos e assim os novos coaches passam a ser conhecidos e reconhecidos no mercado.

Para exemplificar o que estou tratando, as principais intitulações no mercado são: Coaching de emagrecimento, Coaching de relacionamento, Coaching espiritual, etc. Todavia, se você prestar atenção tanto emagrecimento, relacionamento e espiritualidade se referem à vida pessoal de cada um, portanto, estes três exemplos dizem respeito ao Coaching de vida.

Há uma grande necessidade do ser humano se apresentar diferente em qualquer ambiente, pois os que assim fazem começam a ser notados pelo público alvo a que se propõe a atender como experts no assunto. Esta é a principal razão das variações de nomenclatura do Coaching no mercado.

Na verdade, só há quatro variações do processo de Coaching: de vida (trabalha causas pessoais do indivíduo), executivo (trata da melhoria comportamental do profissional rumo à excelência), carreira (busca aprimorar o comportamento do profissional que quer ser promovido, mudar de profissão, entrar no mercado ou mesmo ser recolocado no mesmo) e liderança (trabalha comportamento com pessoas que queiram aprimorar suas habilidades para melhor gerir suas equipes). Se você reparar, as outras que existem no mercado vêm dessas quatro que acabei de citar.

Eu tenho trabalhado realizando sessões de Coaching com diversos tipos de pessoas com sonhos e desejos diferentes. Posso dizer com toda a certeza que todos eles, sem exceção foram tratados dentro das quatro variações que mencionei acima. Estas pessoas tinham e têm como maiores desafios sair do estado atual (algo que esteja incomodando) e passar para o estado desejado (o objetivo alcançado).

Como temos que inovar o tempo todo, pois se não for assim ficaremos para trás, comecei a pensar na possibilidade de ter vários clientes ao mesmo tempo em um espaço onde todos poderão ser atendidos dentro de um direcionamento através de ferramentas de Coaching, então surgiu o projeto Construindo Resultados em Grupos.

Contudo, quero enfatizar que Coaching em grupos não tem nada a ver com Coaching de equipes. Como falei antes, em grupos pessoas diferentes se reúnem em um mesmo espaço. Estas pessoas muito provavelmente vêm com desejos e sonhos diferentes, mas dispostos a seguir um plano de ação em prol de seus objetivos traçados. Por outro lado, o Coaching de equipes trabalha com colaboradores de empresas que desejam que todos sigam o mesmo rumo em prol do crescimento das mesmas.

banner-do-site amandio junior ebook construindo resultados

As ferramentas utilizadas no Coaching em grupo são de alto impacto, todas elas irão lhe levar à reflexão de maneira sensata, obedecendo a seus limites, fazendo com que você caminhe de maneira eficaz em direção ao seu objetivo.

O Coaching em grupo é ideal para pessoas que têm necessidade de estabelecer metas, até sabem o que querem, porém não sabem como alcançar seus objetivos. A metodologia utilizada leva à autorreflexão, não há prejulgamento algum no processo, você terá todo o direito de trabalhar a meta que desejar, pois afinal de contas você é o proprietário de seus sonhos.

Um dos maiores entraves que as pessoas encontram no estabelecimento de metas é o como chegar ao objetivo final, participando do programa Construindo Resultados em Grupos você poderá obter êxitos no que deseja em um ambiente agradável e propicio para o auto desenvolvimento.

São quatro sessões semanais de uma hora em meia de duração cada, o grupo conta com o mínimo de oito e o máximo de 12 pessoas para que haja alto padrão de qualidade.

Eu preparei uma aula online para lhe mostrar como o Coaching em grupo pode lhe beneficiar, portanto assista e se você tiver mais dúvidas se o programa serve para você ou não, entre em contato comigo. Na próxima quinta feira, dia 06/04 eu farei uma live no Facebook para falar mais deste programa sensacional, te aguardo lá. Um grande abraço!

Para assistir a aula basta clicar nesse link: QUERO ASSISTIR A AULA!

Como mensurar os ganhos e perdas de minhas atitudes financeiras.                            

 As consequências da sua atual vida financeira, seja ela boa ou ruim, são mensuradas? Você reflete sobre a maneira como você agiu em determinada situação para mostrar o que resultou?

Quando se trata de finanças, o brasileiro não tem o hábito de olhar para as três fases de um processo de compra: o início, o meio e o final de suas atitudes, geralmente ele só olha para a fase dois que é o meio, negligenciando a fase um que é a raiz e a fase três que são as consequências. Deixe-me explicar melhor utilizando um exemplo prático:

Você fez a compra de algo acreditando que seria a melhor do momento por alguma razão (necessidade ou capricho). Na ocasião da compra você entra na fase dois, que é a compra propriamente dita. Neste momento você está empolgado com a aquisição, aquilo era tudo o que você gostaria, o que lhe deixava contemplado, é o agora.

Com o tempo a felicidade da compra tende a desaparecer, pois você começa a perceber que a compra referente não tinha sido tão boa assim como você tinha pensado. Além disso, a aquisição foi feita no cartão de crédito paga em várias parcelas.    

Quando você percebe, você é dono de algo que não utiliza com a mesma potência que acreditava que iria utilizar e acaba tendo que se desfazer do que comprou ou deixando de lado e não o usando mais.

O fato é que você de certa maneira negligenciou as fases um e três deste processo, que foram a raiz e as consequências.

Certa vez um amigo meu recebeu a oferta de compra de um carro que ele tinha muita vontade de ter. Na época ele estava guardando dinheiro para uma viagem de negócios para alavancar a empresa em que ele era sócio. O fato era que o dinheiro que ele tinha só daria para pagar até certo valor do veiculo, sendo necessário o financiamento do restante. Seu sócio ficou muito aborrecido em saber que ele estava disposto em abdicar da viagem em prol do veiculo e foi exatamente o que ele fez.

banner-do-site amandio junior ebook construindo resultados

Ele comprou o carro e o colocou pra rodar como taxi para tentar reaver seu investimento mais rapidamente, porém não foi isso o que aconteceu. Ele foi muito mal sucedido em seu investimento e acabou tendo que vender o carro e ainda por cima não viajou a negócios, desfazendo sua sociedade.

 O que faltou para meu amigo dentro do que eu estou falando? Faltou a ele seguir os três passos: o inicio, o meio e o fim. Tanto como o inicio que é a raiz, como o fim que é a consequência deveriam ter sido analisadas com uma ferramenta que uso muito em minhas sessões de Coaching que é a matriz de perdas e ganhos.

No primeiro passo que é a raiz ele deveria ter feito a seguinte análise: O que ganho e o que perco adquirindo o veiculo? E no último passo a pergunta é o que ganharei e o que perderei tendo as parcelas a pagar do veiculo? Essas perguntas iriam dar a ele um norte maior para a tomada de decisão, porque ele poderia no inicio perceber que não seria negócio comprar o veiculo naquele momento através de uma autorreflexão do que ganharia e do que perderia.

Em minha opinião, analisar o que irá comprar através dos ganhos e perdas é uma grande atitude rumo a uma gestão financeira eficaz e o inicio de tudo é no primeiro passo que é o antes. Portanto, quando você estiver propício a comprar algo que fuja dos seus padrões de compra faça uma avaliação do que irá ganhar e perder adquirindo seu desejo.

Na próxima quinta feira eu liberarei uma aula pra te ensinar exatamente como utilizar esta ferramenta fantástica que é a matriz de perdas e ganhos além de uma live que farei no mesmo dia, te aguardo lá. Um grande abraço!

Para assistir a aula basta clicar nesse link: QUERO ASSISTIR A AULA!

Finanças pessoais, uma questão de raciocínio e de emoção.                                

  Desde o inicio dos tempos a matemática tem feito parte da vida de todo ser humano, direta ou indiretamente, inclusive há uma teoria que diz que tudo gira em torno da mesma. E quando se fala em matemática se fala em raciocínio e exatidão.

  Falar de finanças tem tudo a ver com a matemática, apesar de eu acreditar que o que move finanças é o emocional e não o racional. Aliado a isso, finanças pessoais não é diferente, pois emoção e razão andam lado a lado. Talvez o grande empecilho seja a relação que as pessoas têm com os dois sentimentos.

  Se você é uma pessoa que costuma contabilizar seus gastos então você consegue perceber até onde sua capacidade financeira consegue ir. Nas diversas cidades que eu ministro treinamento pelo Brasil eu costumo conversar muito com os empresários que me assistem e há uma tendência deles colocarem a culpa de suas situações muitas vezes difíceis somente nos números. Frases como “não estou vendendo”, “o mercado está difícil”, “só estou levando prejuízo” são muito comuns entre eles. Dificilmente as razões, expressadas por eles, são comportamentais e sim racionais.

  Eu percebo que muitos empresários negligenciam o fator gestão de pessoas dentro de suas empresas, eles não conseguem ver que os resultados numéricos que eles almejam estão diretamente ligados ao comportamental, pois sem uma equipe que esteja em harmonia com a filosofia e os valores da empresa e vice versa não há como ter uma companhia saudável.

  Mas o que isso tem a ver com finanças pessoais já que eu mencionei o lado empresarial? Tem muito a ver, pois dependendo da maneira como você encara seu momento financeiro atual tudo ou praticamente tudo na sua vida será diretamente impactado pela escassez momentânea do dinheiro.

  No meu círculo de convivência há diversas pessoas que acreditam que a maior razão da vida é ter dinheiro no bolso, que acreditam que seriam mais felizes se ganhassem mais. Uma dessas pessoas fica incessantemente correndo atrás do dinheiro e quando ele aparece, ela o gasta imediatamente por ter muitas dívidas e cai em depressão novamente.

  O que ela não percebe é que a presença ou a falta do dinheiro dita o seu comportamental, se tem dinheiro está feliz se não tem está triste. Então porque não começar a equilibrar emocional e racional? Provavelmente a combinação dos dois poderia dar um efeito diferente.

  O cérebro possui dois hemisférios: o direito e o esquerdo. O hemisfério esquerdo é responsável pelo racional, o lógico. O Hemisfério direito pelo emocional, o criativo. Finanças fica em qual lado? Você pode estar se dizendo agora “é claro que é no esquerdo”, porém sinto lhe dizer que fica no lado direito, no emocional e eu explico o porquê.

  Como você se sente quando está com algum problema financeiro? Por exemplo, você faz suas contas e percebe que o que irá entrar na sua conta não será o suficiente para pagar suas dívidas e nem comprar algo que você estava precisando? Qual hemisfério te abala mais? O direito ou o esquerdo? Certamente o direito, pois você passa a ter preocupações, não dormir direito, recolher-se. Enfim, as primeiras coisas que são abaladas são o coração e o tórax (estômago, fígado, etc.).

  Então que tal evitar ter surpresas desagradáveis? Vou aqui te dar algumas dicas que julgo serem muito importantes:

1 –  Reflita sobre a sua situação financeira atual, tente lembrar a raiz do problema, quando tudo começou e o que desencadeou para sua vida estar do jeito que está;

2 – Tenha em mente que apesar de que algumas situações em sua vida acontecerem inesperadamente, a maneira como você as encara é escolha sua;

3 – Mantenha o foco na solução, no inicio você poderá ter alguma dificuldade em tirar o foco do problema, se for o caso converse com um coach para lhe ajudar;

4 – Independentemente de suas dívidas atualmente serem maiores do que você ganha não as perca de vista, continue tomando nota de tudo o que gasta para ter o controle da situação;

5 – Faça um planejamento seguido de um plano de ação do que você pode fazer de diferente para poder alavancar seu orçamento. Lembre-se que você terá capacidade de desenvolver muito mais do que já faz;

6 – Autocontrole é fundamental para manter a higiene mental e para que isso aconteça a maneira que você pensa sobre sua situação irá definir o bom andamento de seus objetivos. Olhe este quadro:

banner-do-site amandio junior ebook construindo resultados

O resultado que você quer almejar (no caso, em relação a finanças pessoais) está diretamente ligado à maneira como canaliza seus pensamentos. Eles são responsáveis pelas emoções que você absorve, ou seja, pensamentos positivos, emoções positivas, ações positivas, resultados positivos. Contudo, o oposto também é verdadeiro, portanto tenha muito cuidado com o que você pensa.

Eu acredito que muito do que acontece com o ser humano é de alguma maneira potencializado pelo mesmo. Como eu disse antes, você muitas vezes não pede para ter um determinado problema na sua vida, sendo mais específico, se você está passando por problemas financeiros você com certeza não pediu isso, porém para começar a virar este jogo você precisa focar na causa e não na consequência. Portanto, reflita sobre a origem de sua atual situação financeira estar do jeito que está.

Na próxima quinta feira você poderá assistir uma aula sobre este tema: “Finanças pessoais, uma questão de raciocínio e de comportamento”. Eu lhe aguardo para poder lhe dar mais dicas importantes de como planejar melhor seu dinheiro. Um grande abraço!

Para assistir a aula basta clicar nesse link: QUERO ASSISTIR A AULA!