Jonas (nome fictício) acorda todos os dias pontualmente às seis horas, toma banho, se veste e enquanto toma seu café assiste as notícias da manhã. Ao terminar o telejornal sai para trabalhar em uma empresa no qual já trabalha a 5 anos como gerente. Durante seis dias da semana sua rotina é a mesma e todos os dias ele fica mais e mais preocupado com o que assiste em relação ao momento econômico do país.

Do outro lado da cidade Joaquim (nome também fictício) tem uma rotina parecida, porém ao invés de ser funcionário é dono da mesma empresa onde Jonas é funcionário. Apesar de posições diferentes a preocupação de Joaquim é mesma de Jonas. E toda esta preocupação se resume na palavra mais pronunciada pelos Brasileiros nos últimos tempos: CRISE!

Mas o que é crise afinal? Se você perguntar para alguém qual seu significado provavelmente este alguém lhe dirá que é algo muito ruim e que representa um momento de depressão em alguma situação. Na verdade, a palavra crise vem do latim e quer dizer momento de decisão, de mudança súbita. Isto ilustra muito bem que em momentos de dificuldade o mais sensato que temos que fazer é buscar mudanças que saiam do foco do problema e mergulhem na direção da solução. E daí vem a grande pergunta: por qual razão as pessoas focam tanto no problema?

Não seria mais sensato e lógico tentar solucionar seus problemas do que ficar de braços cruzados acreditando que alguém tem que fazer algo e que tudo é culpa do governo e seus capangas?

Na verdade mais razões para mergulhar em rios de lamentações do que imaginamos e para ilustrá-las vou traçar um paralelo entre patrões e empregados com seus discursos:

PATRÕES FUNCIONÁRIOS
* Não há mão de obra qualificada; * As empresas não querem investir em seus funcionários;
* As pessoas não querem trabalhar, só querem explorar seus patrões e empresas; * Os patrões não querem que os funcionários trabalhem, só sabem explorar;
* Antigamente era mais fácil conseguir bons funcionários; * Hoje em dia os patrões só pensam em si;
* Pagamos muitos impostos, como dá para aumentar os salários? * Além de pagar pouco, os funcionários tem descontos altíssimos por conta dos encargos.

Esta é a tônica da discussão e quem tem razão? Patrões e funcionários duelando o tempo todo para justificar as causas dos problemas e se esquecem de buscar soluções, afinal de contas a culpa é sempre do outro concordam?

E qual seria a maneira correta de agir? Que tal usar a palavra crise de um jeito correto e partir para mudanças ao invés de cruzar os braços e acusar o outro? Abaixo seguem algumas perguntas para autorreflexão:

  1. O que está me afligindo neste momento?
  2. O que eu gostaria que fosse diferente em relação ao que está acontecendo agora?
  3. Quais ferramentas eu tenho para mudar esta situação e quais eu vou precisar?
  4. Quem já fez diferente e foi bem sucedido que poderia me ajudar ou me inspirar?
  5. O que preciso fazer uma vez que já sei o que fazer?

Estas são algumas perguntas que você pode se fazer para tentar mudar um quadro total ou imparcial de insatisfação, porém não demore muito pois se demorar você corre dois riscos: De se acomodar com a situação ou se autoflagelar com a mesma. Use definitivamente na sua vida a palavra crise de maneira correta tome uma atitude revolucionária. Pense nisso!
Sucesso a todos!
Deixe seu comentário, dessa forma posso tirar suas duvidas e saber sua opinião.

Comments are closed.