As consequências da sua atual vida financeira, seja ela boa ou ruim, são mensuradas? Você reflete sobre a maneira como você agiu em determinada situação para mostrar o que resultou?

Quando se trata de finanças, o brasileiro não tem o hábito de olhar para as três fases de um processo de compra: o início, o meio e o final de suas atitudes, geralmente ele só olha para a fase dois que é o meio, negligenciando a fase um que é a raiz e a fase três que são as consequências. Deixe-me explicar melhor utilizando um exemplo prático:

Você fez a compra de algo acreditando que seria a melhor do momento por alguma razão (necessidade ou capricho). Na ocasião da compra você entra na fase dois, que é a compra propriamente dita. Neste momento você está empolgado com a aquisição, aquilo era tudo o que você gostaria, o que lhe deixava contemplado, é o agora.

Com o tempo a felicidade da compra tende a desaparecer, pois você começa a perceber que a compra referente não tinha sido tão boa assim como você tinha pensado. Além disso, a aquisição foi feita no cartão de crédito paga em várias parcelas.    

Quando você percebe, você é dono de algo que não utiliza com a mesma potência que acreditava que iria utilizar e acaba tendo que se desfazer do que comprou ou deixando de lado e não o usando mais.

O fato é que você de certa maneira negligenciou as fases um e três deste processo, que foram a raiz e as consequências.

Certa vez um amigo meu recebeu a oferta de compra de um carro que ele tinha muita vontade de ter. Na época ele estava guardando dinheiro para uma viagem de negócios para alavancar a empresa em que ele era sócio. O fato era que o dinheiro que ele tinha só daria para pagar até certo valor do veiculo, sendo necessário o financiamento do restante. Seu sócio ficou muito aborrecido em saber que ele estava disposto em abdicar da viagem em prol do veiculo e foi exatamente o que ele fez.

banner-do-site amandio junior ebook construindo resultados

Ele comprou o carro e o colocou pra rodar como taxi para tentar reaver seu investimento mais rapidamente, porém não foi isso o que aconteceu. Ele foi muito mal sucedido em seu investimento e acabou tendo que vender o carro e ainda por cima não viajou a negócios, desfazendo sua sociedade.

 O que faltou para meu amigo dentro do que eu estou falando? Faltou a ele seguir os três passos: o inicio, o meio e o fim. Tanto como o inicio que é a raiz, como o fim que é a consequência deveriam ter sido analisadas com uma ferramenta que uso muito em minhas sessões de Coaching que é a matriz de perdas e ganhos.

No primeiro passo que é a raiz ele deveria ter feito a seguinte análise: O que ganho e o que perco adquirindo o veiculo? E no último passo a pergunta é o que ganharei e o que perderei tendo as parcelas a pagar do veiculo? Essas perguntas iriam dar a ele um norte maior para a tomada de decisão, porque ele poderia no inicio perceber que não seria negócio comprar o veiculo naquele momento através de uma autorreflexão do que ganharia e do que perderia.

Em minha opinião, analisar o que irá comprar através dos ganhos e perdas é uma grande atitude rumo a uma gestão financeira eficaz e o inicio de tudo é no primeiro passo que é o antes. Portanto, quando você estiver propício a comprar algo que fuja dos seus padrões de compra faça uma avaliação do que irá ganhar e perder adquirindo seu desejo.

Na próxima quinta feira eu liberarei uma aula pra te ensinar exatamente como utilizar esta ferramenta fantástica que é a matriz de perdas e ganhos além de uma live que farei no mesmo dia, te aguardo lá. Um grande abraço!

Para assistir a aula basta clicar nesse link: QUERO ASSISTIR A AULA!

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *