“Acho que o mundo está contra mim, afinal de contas está dando tudo errado”. Você alguma vez pronunciou ou ouviu alguém pronunciar esta frase? É muito comum quando alguém se sente injustiçado e achando que seu fracasso é originado do universo.

“Eu sou o único responsável pela minha vida”. Você certamente já deve ter dito ou ouvido alguém dizer esta frase também, não é mesmo?

Ambas dizem respeito a um comportamento chamado de locus de controle. Tanto uma quanto a outra tem um responsável a quem você atribui. Seja bem vindo(a) ao mundo do LOCUS DE CONTROLE.

Infelizmente há uma tendência do ser humano utilizar muito mais o lócus de controle externo do que o interno. Mas o que significa cada um deles?

O locus de controle externo é quando você atribui seu fracasso ao mundo: pessoas, ambientes, condições climáticas, etc.

O locus de controle interno é quando você atribui toda a responsabilidade de seus atos (positivos ou não) em si mesmo(a).

Qual dos dois está correto? Vamos parar para analisar?

Você pode estar pensando que nem tudo o que acontece na sua vida é culpa sua, certamente que não, porém a responsabilidade é e sabe qual a razão? Porque é você quem escolhe a maneira de lidar, agir e reagir em cada situação.

Na minha infância um dos maiores medos que eu tinha era de ficar reprovado, pois meus pais eram muito rigorosos, eles costumavam dizer que eu só fazia estudar na vida então não havia razão para tirar notas baixas ou não passar de ano.

Com isso eu instalei uma crença de que eu nunca poderia falhar quando se tratava de testes escolares e aprovações. Esta crença tornou-se altamente limitante, pois eu geralmente fazia provas com muito receio de tirar notas baixas, fracassar e decepcionar meus pais. A minha limitação era de não me achar bom o suficiente.

Certo dia eu descobri uma estratégia que poderia me ajudar, apesar de não ter nunca dado certo.

Quando eu tirava nota baixa eu chegava em casa cabisbaixo, triste, desolado. Ao encontrar com meus pais eu dizia: “Olha só, tirei nota baixa porque o professor não gosta de mim, não ensina direito, a sala é barulhenta, ninguém quer nada e me atrapalham, o calor é intenso e prejudica a concentração”. E assim por diante.

A minha estratégia era de colocar a culpa em tudo e em todos que estavam à minha volta para livrar a minha barra. Eu usava o locus externo.

Por outro lado, quando eu tirava uma nota alta a minha postura ao chegar em casa era diferente, o nariz empinado até o teto e coluna ereta.

Neste momento eu era 100% locus interno porque meu argumento era que apesar de todas as dificuldades o mérito era meu.

Eu quis explanar com este pequeno case de minha vida é que eu não tinha noção de que na alegria e na tristeza a responsabilidade era toda minha independentemente da situação.

Assim é na vida de cada um, problemas e percalços sempre aparecerão na vida, porém a sua responsabilidade é absorver e transformá-los em algo positivo e isso só depende de você.

Entenda que ao estabelecer uma meta e seu planejamento tudo está com você: como, onde, quando, com quem ou quanto você terá que dispor para chegar ao objetivo e nada como estar ciente de sua responsabilidade.

Por esta e outras razões é que o autoconhecimento é tão importante ao se estabelecer uma meta, sem se conhecer você não conseguirá avançar muito em seu objetivo e pode acabar achando que a culpa e a responsabilidade é de tudo e de todos, menos sua.

Você acredita que este artigo lhe ajudou a entender melhor o grau de responsabilidade que você tem sobre seus atos? Se sim, então venha saber mais, Clica neste link aqui http://bit.ly/construirmudança e comece a receber mais informações de como você pode construir resultados maiores e melhores na sua vida.

Sucesso sempre!

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *