Você conhece a palavra procrastinação? Ela vem do Latim Procrastinatus (pro – à frente e crastinatus – de amanhã, em prol do amanhã). A pessoa que procrastina é aquela que deixa de executar uma tarefa no momento e deixa para depois.

O ato contínuo de procrastinar pode ser sinal de problemas psicológicos ou fisiológicos, todavia o fato é que este hábito só traz atraso de vida em diferentes sentidos.

Então se procrastinar é tão maléfico, qual o sentido das pessoas não fazerem o que tem de ser feito, mesmo sabendo que o resultado final pode ser muito melhor do que o quadro da situação atual?

Você tem o hábito de procrastinar? Se não, parabéns. Se sim, você já parou para analisar a razão para tal? E o seu sentimento após a procrastinação, qual foi?

Há várias razões para a procrastinação e nenhuma delas acontece de fora para dentro, saiba você. Eu gosto de enfatizar isso porque há uma tendência do ser humano de querer colocar a responsabilidade em fatores externos para justificar seus fracassos. Abaixo coloco algumas destas razões:

  1. Falta de foco. Quando você não sabe aonde quer chegar procrastinar se torna algo muito fácil de acontecer, pois seu subconsciente vai ficar lhe questionando o porquê de sair do lugar já que não tem propósito definido.
  2. Insegurança e dependência das outras pessoas. Acreditar que você sempre precisará de alguém para realizar algo é um prato cheio para a procrastinação, pois você se sente amarrado àquela pessoa para sair do lugar. Um erro gritante!
  3. Medo das críticas. Quando isso acontece é porque você não está completamente seguro do que está fazendo e se expor é um tormento. Todavia, entenda que você será criticado de qualquer maneira, com ou sem experiência.
  4. Perfeccionismo. O grande filósofo Leandro Karnal diz que não somos perfeitos e sim perfectíveis, pois perfeição significa feito até o fim, do Latim perfectum. Entenda que a perfeição é algo que sempre será perseguida, cuidado para não cair no erro de procrastinar algo por não alcançá-la.
  5. Falta de organização e disciplina. Você provavelmente já disse pra si mesmo que deixou de fazer algo por falta de tempo, não é mesmo? A pergunta é: Será que realmente foi a falta de tempo que lhe atrapalhou ou você não soube se organizar e muito menos ter disciplina para tocar um planejamento em frente?
  6. Baixa autoestima. O sentimento de que não adianta você fazer algo porque não se sente capaz faz com que a procrastinação lhe corroa completamente. Desestímulo e desmotivação são alguns dos fatores que causam a queda da autoestima e consequentemente à procrastinação.

O mais curioso e triste da procrastinação é a impressão que você cria de que adiando algo naquele momento não irá lhe afetar em curto prazo. “Amanhã eu faço”, “amanhã eu vou”, etc. Estas frases ecoam o tempo na mente do procrastinador.

Meu pai era do tipo de pessoa que exigia que os filhos fossem ao médico regularmente, porém adiava sua ida todo o tempo, alegando que não precisava de médico e que só adoecia um dia, no outro já estava bem.

Eu trouxe o exemplo do meu pai para lhe mostrar que a procrastinação pode estar em qualquer aspecto da sua vida, portanto não deixe que ela tome conta da sua vida. Aqui vão algumas dicas:

  1. Saiba o que você realmente deseja.
  2. Reflita se o que deseja é realmente relevante para aquele momento da sua vida.
  3. Analise os recursos que tem e os que vai precisar para alcançar o que deseja.
  4. Crie um plano de ação para cada etapa que você irá passar.
  5. Foco, disciplina e determinação são fundamentais para este processo.
  6. Celebre sua vitória.

Entenda que você irá precisar de 1% de inspiração e 99% de transpiração para alcançar seu objetivo, porém ao final você perceberá que realmente terá valido à pena. O mais importante é que você não fique à mercê da procrastinação, senão ao abrir os olhos você poderá ter perdido muitas oportunidades na sua vida. Pense nisso!

Comments are closed.