Talvez no momento em que você esteja lendo esta mensagem muitas portas estejam fechadas ou se fechando na sua vida. Problemas financeiros, profissionais, conjugais, etc.

Muitas vezes nos perguntamos a razão de haver escassez em alguns âmbitos de nossas vidas e a tendência é que coloquemos a culpa e a responsabilidade em fatores externos, mas o que deve-se fazer quando as portas se fecham à nossa frente?

Você está indo bem em um projeto (pelo menos você acredita que esteja), de repente você começa a perder terreno, a abundância é trocada pela escassez e todo o castelo que você tinha construído desmorona e não sobra nada. Qual é a sua atitude?

Você pode estar se perguntando em qual aspecto da vida eu estou me referindo e posso lhe dizer tranquilamente que pode ser qualquer um que você deseja, pense naquele que ultimamente tem tirado o seu sono.

Acontece que todo ser humano sonha com algo bem melhor para a sua vida em qualquer aspecto, porém às vezes as ferramentas que você escolheu para lhe levar até onde deseja podem começar a enferrujar e você não consegue pensar em uma solução imediata. É comum pessoas entrarem em pânico quando aquilo que sempre sonhou precisa ser interrompido.

No momento do pânico é mais saudável pensar na solução do que focar no problema, apesar de que talvez não seja uma tarefa fácil tirar o foco do problema entenda que a solução é só o que lhe resta fazer, amplie sua mente.

FOCO NA SOLUÇÃO! Durante muito tempo esta frase soava na minha mente como algo impossível de acontecer, eu me perguntava como eu poderia pensar em solução se o problema é enorme?

Todavia, ao longo de meus estudos e da minha maturidade pessoal e profissional aprendi a fazer algo que talvez muita gente desconheça hoje em dia: VIRAR A CHAVE.

Amandio, o que significa virar a chave? É pensar no que você quer ao invés de pensar no que não quer. Eu vou lhe dar um exemplo:

Pedro (nome fictício) tinha acabado de perder o emprego, motorista de ônibus muito competente foi pego de surpresa quando ele e mais dezenas de outros profissionais foram demitidos pela “crise” que puxou o tapete da empresa que trabalhava.

Desesperado, a primeira coisa que Pedro pensou foi: Onde irei conseguir outro emprego com 52 anos de idade?”. Outro pensamento que veio forte foi: “E agora como irei sustentar minha família?”.

Pedro não dormia direito e deixava estes e outros pensamentos tomarem conta de sua mente lhe tirando a paz.

Eu conhecia Pedro há algum tempo, tive uma conversa informal com ele sobre Coaching e ofereci algumas sessões para ele no intuito de ajudá-lo a virar a chave.

Durante as sessões Pedro aprendeu a focar no que queria, nas suas habilidades, competências, pontos fortes e oportunidades que poderia aproveitar para suprir suas necessidades.

Pedro deu a volta por cima, o inicio foi difícil (como sempre acontece). Ele teve que quebrar as barreiras do medo, da incerteza, da fragilidade.

Hoje Pedro dirige seus próprios veículos (já são 3 vans) que prestam serviços para empresas de turismo e outros segmentos.

O relato que acabei de escrever é verídico, assim como todos os que conto. A moral desta história é que virar a chave requer muito mais do que simplesmente querer e o processo de Coaching pode lhe ajudar e muito.

Assim como a situação de Pedro, você pode mudar a história de sua vida em qualquer aspecto e eu posso te ajudar.

Portanto, se você deseja virar a chave da sua vida e precisa de ajuda, eu quero te fazer um convite.

Eu quero te convidar para uma sessão experimental de Coaching online, acesse http://bit.ly/AJcontato e marque um horário para conversarmos, é um encontro de apenas uma hora e eu terei o maior prazer em atender você.

Eu trabalho com educação há mais de 30 anos e minha missão de vida é melhorar a vida das pessoas e empresas através da multiplicação do conhecimento e realmente eu levo isso muito a sério.

Então se você realmente quiser a minha ajuda clica no link http://bit.ly/AJcontato e marca este encontro comigo venha fazer parte desta história.

Sucesso sempre!

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *